Musica no blog

contador de visitas
contador de visitas

quarta-feira, julho 27, 2011

Princípios da administração de medicamentos


Princípios da administração de
medicamentos

A administração de medicamentos é uma das atividades
que o enfermeiro desenvolve com muita freqüência, requerendo muita atenção e sólida
fundamentação técnico-científica para subsidiá-lo
na realização de tarefas correlatas, pois envolve
uma seqüência de ações que visam a obtenção de
melhores resultados no tratamento do paciente,
sua segurança e a da instituição na qual é realizado
o atendimento. Assim, é importante compreender
que o uso de medicamentos, os procedimentos
envolvidos e as próprias respostas orgâ-
nicas decorrentes do tratamento envolvem riscos
potenciais de provocar danos ao paciente,
sendo imprescindível que o profissional esteja preparado
para assumir as responsabilidades técnicas
e legais decorrentes dos erros que possa vir a incorrer.
Geralmente, os medicamentos de uma unidade de saúde são armazenados
em uma área específica, dispostos em armários ou prateleiras
de fácil acesso e organizados e protegidos contra poeira, umidade,
insetos, raios solares e outros agentes que possam alterar seu estado –
ressalte-se que certos medicamentos necessitam ser armazenados e conservados
em refrigerador.

Os recipientes contendo a medicação devem possuir tampa e
rótulo, identificados com nome (em letra legível) e dosagem do fármaco.
A embalagem com dose unitária, isto é, separada e rotulada em
“doses individuais”, cada vez mais vem sendo adotada em grandes centros
hospitalares como meio de promover melhor controle e racionaliza
ção dos medicamentos.

Os pacientes e/ou familiares necessitam ser esclarecidos quanto à
utilização dos medicamentos receitados pelo médico, e orientados em
relação ao seu armazenamento e cuidados - principalmente se houver
crianças em casa, visando evitar acidentes domésticos.
Os entorpecentes devem ser controlados a cada turno de trabalho
e sua utilização feita mediante prescrição médica e receita contendo nome
do paciente, quantidade e dose, além da data, nome e assinatura do mé-
dico responsável. Ao notar a falta de um entorpecente, notifique tal fato
imediatamente à chefia.

A administração de medicamentos segue normas e rotinas que
uniformizam o trabalho em todas as unidades de internação, facilitando
sua organização e controle. Para preparar os medicamentos,
faz-se necessário verificar qual o método utilizado para se aviar a
prescrição - sistema de cartão, receituário, prescrição médica, folha
impressa em computador. Visando administrar medicamentos de maneira
segura, a enfermagem tradicionalmente utiliza a regra de administrar
o medicamento certo, a dose certa, o paciente certo, a via
certa e a hora certa.

Durante a fase de preparo, o profissional de enfermagem deve
ter muita atenção para evitar erros, assegurando ao máximo que o
paciente receba corretamente a medicação. Isto justifica porquê o
medicamento deve ser administrado por quem o preparou, não sendo
recomendável a administração de medicamentos preparados por
outra pessoa.

As orientações a seguir compreendem medidas de organizativas
e de assepsia que visam auxiliar o profissional nesta fase do trabalho:

– lavar sempre as mãos antes do preparo e administração de medicamentos,
e logo após;
– preparar o medicamento em ambiente com boa iluminação;
– concentrar-se no trabalho, evitando distrair a atenção com atividades
paralelas e interrupções que podem aumentar a chance de
cometer erros;
– ler e conferir o rótulo do medicamento três vezes:
ao pegar o frasco, ampola ou envelope de medicamento; antes de colocar o medicamento no recipiente próprio para administração e ao Atualmente, muitas farmácias hospitalares têm implantado as chamadas “doses individuaisque são o fornecimento dos
medicamentos por turno de trabalho, por paciente e por horário (com as doses prescritas para os horários determinados), facilitando o trabalho da equipe de enfermagem e o reconhecimento dos medicamentos pelo paciente.

Aviar - significa aprontar, executar, preparar (no caso, os medicamentos prescritos).


Fundamentos de Enfermagem

recolocar o recipiente na prateleira ou descartar a ampola/frasco
ou outra embalagem - um profissional competente não se
deixa levar por comportamentos automatizados, pois tem a consci
ência de que todo cuidado é pouco quando se trata de preparar
e administrar medicamentos;

– realizar o preparo somente quando tiver a certeza do medicamento
prescrito, dosagem e via de administração; as medicações
devem ser administradas sob prescrição médica, mas em casos
de emergência é aceitável fazê-las sob ordem verbal (quando a
situação estiver sob controle, todas as medicações usadas devem
ser prescritas pelo médico e checadas pelo profissional de enfermagem
que fez as aplicações);

– identificar o medicamento preparado com o nome do paciente, número do leito, nome da medicação, via de administração e horário;

– observar o aspecto e características da medicação, antes de prepará-la;

– deixar o local de preparo de medicação em ordem e limpo, utilizando álcool a 70% para desinfetar a bancada;

– utilizar bandeja ou carrinho de medicação devidamente limpos e desinfetados com álcool a 70%;

– quando da preparação de medicamentos para mais de um paciente, é conveniente organizar a bandeja dispondo-os na seqüência de administração.

Similarmente, seguem-se as orientações relativas à fase de administração:

– manter a bandeja ou o carrinho de medicação sempre à vista durante a administração, nunca deixando-os, sozinhos, junto ao paciente;

– antes de administrar o medicamento, esclarecer o paciente
sobre os medicamentos que irá receber, de maneira clara e
compreensível, bem como conferir cuidadosamente a identidade
do mesmo, para certificar-se de que está administrando
o medicamento à pessoa certa, verificando a pulseira de identifica
ção e/ou pedindo-lhe para dizer seu nome, sem induzilo a isso;

– permanecer junto ao paciente até que o mesmo tome o medicamento.
Deixar os medicamentos para que tome mais tarde ou
permitir que dê medicação a outro são práticas indevidas e absolutamente
condenáveis;

– efetuar o registro do que foi fornecido ao paciente, após administrar
o medicamento.

Objetivando reduzir o erro na administração de medicamentos, preconiza-se seguir
a regra dos cinco certos:
medicamento certo, via certa, dose certa, hora certa e paciente certo.

Todo medicamento administrado deve ser registrado e rubricado na prescrição. Nas aplicações parenterais é importante anotar o local de administração.

Alguns medicamentos pressupõem a coleta de informações e
cuidados específicos antes ou após sua administração, tais como a
medida da freqüência cardíaca antes da administração de cardiotônicos
ou antiarrítmicos, o controle da temperatura após a administra-
ção de antitérmicos, etc.

– episódios que devem ser devidamente
anotados na papeleta do paciente, para acompanhamento de possí-
veis alterações.

A omissão inadvertida de um medicamento deve ser registrada e
comunicada à enfermeira e/ou ao médico tão logo seja detectada. Algumas
omissões são deliberadas, como, por exemplo, medicamento oral
em paciente que vai submeter-se à cirurgia de emergência. Em caso de
recusa do medicamento, o profissional de enfermagem deve relatar imediatamente
o fato à enfermeira e/ou ao médico, e anotá-lo no prontuário.
Em nosso meio, convencionalmente, quando o medicamento não foi administrado
por algum motivo o horário correspondente deve ser circundado
(rodelado, “bolado”) à caneta e a justificativa devidamente anotada
no prontuário do paciente.

É importante verificar o(s) motivo(s) de recusa do paciente e tentar
reorientá-lo quanto à importância do(s) medicamento(s) em seu tratamento.
É comum o paciente queixar-se dos efeitos que alguns medicamentos
produzem no seu organismo, e a equipe de enfermagem pode
ajudá-lo avaliando e procurando alternativas que melhorem a situação
de acordo com os problemas apresentados. Às vezes, o simples fato de
desconcentrar os medicamentos em horários diferentes pode oferecer
resultados satisfatórios.


Administrando medicamentos por via oral e sublingual

Material necessário:

– bandeja
– copinhos descartáveis
– fita adesiva para identificação
– material acessório: seringa, gazes, conta-gotas, etc.
– água, leite, suco ou chá

Avaliar o paciente antes de preparar os medicamentos, verificando
as condições e os fatores que influenciam a administração por essas vias,
como jejum, controle hídrico, sonda nasogástrica, náuseas e vômitos.

Fundamentos de Enfermagem

Os cuidados para o preparo de medicamentos administrados por via
oral dependem de sua apresentação. No caso do medicamento líquido, recomenda-
se agitar o conteúdo do frasco antes de entorná-lo no recipiente graduado
(copinho), segurando-o com o rótulo voltado para cima, para evitar que
o medicamento escorra acidentalmente. Envolver o gargalo do frasco com
uma gaze é uma alternativa para aparar o líquido, caso ocorra tal circunstância.
O momento de entornar o conteúdo do frasco, segurando-o na altura dos
olhos junto ao copinho, facilita a visualização da dose desejada.
Comprimidos, drágeas ou cápsulas devem ser colocados no
copinho, evitando-se tocá-los diretamente com as mãos – para tanto, utilizar
a tampa do frasco para repassá-los ao copinho, ou mantê-los na
própria embalagem, se unitária.

Para evitar interações medicamentosas, os medicamentos não
devem ser dados simultaneamente. Assim, sempre que possível, o planejamento
dos horários de administração deve respeitar esse aspecto.
Quando da administração simultânea de vários medicamentos, a
prática mais segura é a utilização de recipientes separados, possibilitando
a correta identificação dos medicamentos que efetivamente o paciente
recebeu, nos casos de aceitação parcial ou perdas acidentais de parte
deles – as embalagens unitárias não fornecem este risco.
Quando da administração de medicação sublingual, observar a
correta colocação do medicamento sob a língua do paciente, orientandoo
para que o mantenha, sem mastigá-lo ou engoli-lo até ser totalmente
dissolvido. Não se deve oferecer líquidos com a medicação sublingual.

Administrando medicamentos por via retal
Material necessário:

– bandeja
– luvas de procedimento
– forro de proteção
– gazes
– medicamento sólido ou líquido
– comadre (opcional)

As formulações destinadas para uso retal podem ser sólidas ou
líquidas. A sólida, denominada supositório, possui formato ogival e consist
ência que facilita sua aplicação, não devendo ser partida. Dissolve-se
em contato com a temperatura corporal e é indicada principalmente para
a estimulação da peristalse, visando facilitar a defecação – geralmente,
os resultados manifestam-se dentro de 15 a 30 minutos, mas podem tardar
até uma hora.

Interação medicamentosa - é quando o efeito de um ou mais medicamentos são alterados
pela administração simultânea, neutralizando sua ação ou provocando uma reação adversa no paciente.

Para quem tem intolerância
gástrica, alguns analgésicos
são apresentados sob a forma
de supositório.

Se o paciente estiver capacitado para realizar o procedimento, o
profissional deve oferecer-lhe o supositório envolto em gaze e orientá-lo a
introduzi-lo no orifício anal, no sentido do maior diâmetro para o menor
(afilado), o que facilita a inserção. Caso esteja impossibilitado, o auxiliar
de enfermagem, utilizando luvas de procedimento, com o paciente em
decúbito lateral, realiza essa tarefa.

A formulação líquida, também denominada enema, consiste na
introdução de uma solução no reto e sigmóide. As indicações variam,
mas sua maior utilização é a promoção da evacuação nos casos de constipa
ção e preparo para exames, partos e cirurgias - porém, há enemas
medicamentosos para terapêuticas específicas, como à base de
neomicina, visando reduzir a flora bacteriana intestinal.

Administrando medicamentos
tópicos por via cutânea, ocular, nasal, otológica e vaginal
Material necessário:

– bandeja
– espátula, conta-gotas, aplicador
– gaze
– luvas de procedimento
– medicamento

De maneira geral, recomenda-se a realização de teste de sensibilidade
antes da aplicação medicamentosa por via cutânea.
Para que haja melhor absorção do medicamento pela pele, a mesma
deve estar limpa e seca antes da aplicação. As loções, pastas ou pomadas
são colocadas na pele e espalhadas uniformemente com gaze,
com a mão devidamente enluvada, seguindo-se as orientações específicas
de cada medicamento em relação à fricção, cobertura, aplicação de
calor, etc.

Para a aplicação tópica ocular, nasal e otológica é recomendável
que o frasco conta-gotas seja individual e, durante a aplicação, não encoste
na pele ou mucosa.

Antes da aplicação ocular, faz-se necessário limpar os olhos para
remover secreções e crostas. Com o paciente confortavelmente
posicionado em decúbito dorsal ou sentado, com o rosto voltado para
cima, o profissional deve expor a conjuntiva da pálpebra inferior e solicitar-
lhe que dirija o olhar para cima, após o que instila a solução com o
conta-gotas (figura 1). Seqüencialmente, orientar o paciente para que feche
as pálpebras e mova os olhos, o que espalha uniformemente o medicamento.
Identicamente, as mesmas orientações devem ser seguidas para

Fundamentos de Enfermagem
a aplicação de pomada a ser distribuída ao longo da pálpebra superior e
inferior
Para a instilação de medicamento nas narinas o paciente deve
manter a cabeça inclinada para trás; nesta posição, o profissional aproxima
o conta-gotas e pinga o número prescrito de gotas do medicamento

Na aplicação otológica a posição mais adequada é o decúbito lateral.
A fim de melhor expor o canal auditivo, o profissional deve puxar delicadamente
o pavilhão do ouvido externo para cima e para trás, no caso
de adultos, e para baixo e para trás, em crianças, e instilar o medicamento
Para maior conforto do paciente, utilizar solução morna.
Os medicamentos intravaginais têm a forma de creme e óvulos,
que são introduzidos com o auxílio de um aplicador de uso individual. O
horário de aplicação mais recomendado é à noite, ao deitar, após a realiza
ção de higiene íntima. Com a mão enluvada, o profissional deve encher
o aplicador com o creme (ou inserir o óvulo) e, mantendo a paciente
em decúbito dorsal, introduzi-lo aproximadamente 7,5 cm e pressionar o
êmbolo para aplicar o medicamento (figura 5). A paciente deve ser orientada
para permanecer deitada logo após a aplicação, visando evitar o
refluxo do medicamento. As mulheres com condições de auto-aplicar-se
devem ser instruídas quanto ao procedimento.

Administrando medicamentos porvia parenteral

A via parenteral é usualmente utilizada quando se deseja uma
ação mais imediata da droga, quando não há possibilidade de administr
á-la por via oral ou quando há interferência na assimilação da
droga pelo trato gastrintestinal. A enfermagem utiliza comumente
as seguintes formas de administração parenteral: intradérmica, subcutâ-
nea, intramuscular e endovenosa.

4
5
100

Fundamentos de Enfermagem
Material necessário:

– Bandeja ou cuba-rim
– Seringa
– Agulha
– Algodão
– Álcool a 70%
– arrote (aplicação endovenosa)
– Medicamento (ampola, frasco-ampola)

A administração de medicamento por via parenteral
exige prévio preparo com técnica asséptica e as orienta-
ções a seguir enunciadas visam garantir uma maior seguran
ça e evitar a ocorrência de contaminação.
Ao selecionar os medicamentos, observar o prazo de
validade, o aspecto da solução ou pó e a integridade do frasco.
Certificar-se de que todo o medicamento está contido
no corpo da ampola, pois muitas vezes o estreitamento
do gargalo faz com que parte do medicamento fique retida.
Observar a integridade dos invólucros que protegem a seringa e a
agulha; colocar a agulha na seringa com cuidado, evitando
contaminar a agulha, o êmbolo, a parte interna do corpo
da seringa e sua ponta.

Desinfetar toda a ampola com algodão embebido em
álcool a 70%, destacando o gargalo (figura 1); no caso de frasco-
ampola, levantar a tampa metálica e desinfetar a borracha.
Proteger os dedos com algodão embebido em álcool
a 70% na hora de quebrar a ampola ou retirar a tampa
metálica do frasco- ampola. Para aspirar o medicamento
da ampola ou frasco ampola, segurá-lo com dois dedos de
uma das mãos, mantendo a outra mão livre para realizar,
com a seringa, a aspiração da solução

No caso do frasco-ampola, aspirar o diluente, introduzi-lo dentro do
frasco e deixar que a força de pressão interna desloque o ar para o interior
da seringa. Homogeneizar o diluente com o pó liofilizado, sem sacudir, e
aspirar. Para aspirar medicamentos de frasco de dose múltipla, injetar um
volume de ar equivalente à solução e, em seguida, aspirá-lo.
O procedimento de introduzir o ar da seringa para o interior do frasco
visa aumentar a pressão interna do mesmo, retirando facilmente o medicamento,
haja vista que os líquidos movem-se da uma área de maior
pressão para a de menor pressão. Portanto, ao aspirar o medicamento,
manter o frasco invertido
Após a remoção do medicamento, retirar

o ar com a agulha e a seringa voltadas para cima. Recomenda-se puxar
um pouco o êmbolo, para remover a solução contida na agulha, visando
evitar seu respingo quando da remoção do ar.
1
Ampola
2
3
4

Frasco ampola
101

A agulha deve ser protegida com o protetor e o êmbolo da seringa
com o próprio invólucro.
Identificar o material com fita adesiva, na qual deve constar o nome do
paciente, número de leito/quarto, medicamento, dose e via de administração.
As precauções para administrar medicamentos pela via parenteral
são importantes para evitar danos muitas vezes irreversíveis ao paciente.
Antes da aplicação, fazer antissepsia da pele, com álcool a 70%.
É importante realizar um rodízio dos locais de aplicação, o que evita
lesões nos tecidos do paciente, decorrentes de repetidas aplicações.
Observar a angulação de administração de acordo com a via e
comprimento da agulha, que deve ser adequada à via, ao tipo de medicamento,
à idade do paciente e à sua estrutura física.

Após a introdução da agulha no tecido e antes de pressionar o êmbolo
da seringa para administrar o medicamento pelas vias subcutânea e
intramuscular, deve-se aspirar para ter a certeza de que não houve punção
de vaso sangüíneo. Caso haja retorno de sangue, retirar a punção, preparar
novamente a medicação, se necessário, e repetir o procedimento.
Desprezar a seringa, com a agulha junta, em recipiente próprio para
materiais perfurocortantes.

• Via intradérmica
É a administração de medicamentos na derme, indicada para a
aplicação de vacina BCG e como auxiliar em testes diagnósticos e de
sensibilidade.

Para testes de hipersensibilidade, o local mais utilizado é a região
escapular e a face interna do antebraço; para aplicação de BCG, a região
deltóide do braço direito.

Esticar a pele para inserir a agulha, o que facilita a introdução do
bisel, que deve estar voltado para cima; visando atingir somente a
epiderme, formar um ângulo de 15º com a agulha, posicionando-a quase
paralela à superfície da mesma. Não se faz necessário realizar aspiração,
devido à ausência de vaso sangüíneo na epiderme.
O volume a ser administrado não deve ultrapassar a 0,5ml, por ser
um tecido de pequena expansibilidade, sendo utilizada seringa de 1ml e
agulha 10x5 e 13x4,5.

Quando a aplicação é correta, identifica-se a formação de pápula,
caracterizada por pequena elevação da pele no local onde o medicamento
foi introduzido.

Via subcutânea

É a administração de medicamentos no tecido subcutâneo, cuja absor
ção é mais lenta do que a da via intramuscular. Doses pequenas são recomendadas,
variando entre 0,5ml a 1ml. Também conhecida como hipodérmica,
é indicada principalmente para vacinas (ex. anti-rábica), hormônios (ex. insulina),
anticoagulantes (ex. heparina) e outras drogas que necessitam de absorção
lenta e contínua.

Seus locais de aplicação são a face externa do braço, região glútea,
face anterior e externa da coxa, região periumbilical, região escapular,
região inframamária e flanco direito ou esquerdo.
Para não ultrapassar o tecido, deve-se primeiramente observar a
constituição do tecido subcutâneo do paciente, definindo o ângulo a ser
administrado conforme a agulha disponível (se agulha de 10x5, aplicar
em ângulo de 90º; se de 25x7, aplicar em ângulo de 45º).
Quando da introdução da agulha, fazer uma prega no tecido subcut
âneo, para facilitar sua localização. Para promover a absorção gradativa
do medicamento, efetuar leve compressão sem friccionar ao retirar a agulha
da pele.
15º Locais de aplicação pela via intradérmica Ângulos de aplicação

Via intramuscular
A via intramuscular é utilizada para administrar medicamentos
irritantes, por ser menos dolorosa, considerando-se que existe menor
número de terminações nervosas no tecido muscular profundo. A absor
ção ocorre mais rapidamente que no caso da aplicação subcutânea,
devido à maior vascularização do tecido muscular. O volume a ser administrado
deve ser compatível com a massa muscular, que varia de
acordo com a idade, localização e estado nutricional. Considerando-se
um adulto com peso normal, o volume mais adequado de medicamento
em aplicação no deltóide é de aproximadamente 2ml; no glúteo, 4 ml e
na coxa, 3 ml35, embora existam autores que admitam volumes maiores.
De qualquer maneira, quantidades maiores que 3ml devem ser sempre
bem avaliadas pois podem não ter uma adequada absorção36.

Locais de aplicação pela via subcutânea
Ângulos de aplicação
90º 45º

Fundamentos de Enfermagem
As complicações mais comuns da aplicação intramuscular são a
formação de nódulos, abscessos, necrose e lesões de nervo.
Administrando medicamentos por via
intramuscular
Preparar o medicamento, atentando para as recomendações da prescri
ção e do fabricante. Para aplicação em adulto eutrófico, as agulhas apropriadas
são 25x7, 25x8, 30x7 e 30x8. No caso de medicamentos irritantes, a
agulha que aspirou o medicamento deve ser trocada, visando evitar a ocorr
ência de lesões teciduais.
Orientar o paciente para que adote uma posição confortável, relaxando
o músculo, processo que facilita a introdução do líquido, evita
extravasamento e minimiza a dor.
Evite a administração de medicamentos em áreas inflamadas,
hipotróficas, com nódulos, paresias, plegias e outros, pois podem dificultar
a absorção do medicamento.
Num movimento único e com impulso moderado, mantendo o músculo
com firmeza, introduzir a agulha num ângulo de 90º, puxar o êmbolo e,
caso não haja retorno de sangue administrar a solução. Após a introdução
do medicamento, retirar a agulha - também num único movimento - e
comprimir o local com algodão molhado com álcool a 70%.
Os locais utilizados para a administração de medicamentos são as regi-
ões do deltóide, dorsoglútea, ventroglútea e antero-lateral da coxa.
A região dorsoglútea tem o inconveniente de situar-se próxima ao
nervo ciático, o que contra-indica esse tipo de aplicação em crianças. A
posição recomendada é o decúbito ventral, com os pés voltados para dentro,
facilitando o relaxamento dos músculos glúteos; caso não seja possível,
colocar o paciente em decúbito lateral. O local indicado é o quadrante superior
externo, cerca de 5cm abaixo do ápice da crista ilíaca. Outra maneira de
identificar o local de aplicação é traçando uma linha imaginária da espinha
ilíaca póstero-superior ao trocanter maior do fêmur; a injeção superior ao
ponto médio da linha também é segura

Para a aplicação de injeção no deltóide, recomenda-se que o paciente
esteja em posição sentada ou deitada. Medir 4 dedos abaixo do ombro
e segurar o músculo durante a introdução da agulha

O músculo vasto lateral encontra-se na região antero-lateral da coxa.
Indica-se a aplicação intramuscular no terço médio do músculo, em bebês,
crianças e adultos A região ventroglútea, por ser uma área desprovida de grandes vasos
e nervos, é indicada para qualquer idade, principalmente para crianças.
Localiza-se o local da injeção colocando-se o dedo indicador sobre a espinha
ilíaca antero-superior e, com a palma da mão sobre a cabeça do fêmur
(trocanter), em seguida desliza-se o adjacente (médio) para formar um V. A
injeção no centro do V alcança os músculos glúteos (figura 6).
Eutrófico - com boa nutrição.

Para aplicar medicamentos muito irritantes por via intramuscular, a
técnica em Z é indicada, pois promove a vedação do trajeto e a manuten-
ção do medicamento no espaço intramuscular.
Neste caso, a pele é deslocada lateralmente para longe do local
previamente escolhido para aplicação da injeção

Penetra-se a agulha no músculo, injetando a medicação lentamente. Retira-se a agulha
e solta-se a pele, formando o Z O local da injeção não deve
ser massageado, pois isto pode provocar lesão tecidual.

Tradução do português para inglês

Principles of management
drugs

The administration of medicines is one of the activities
the auxiliary nurse develops
Too often, requiring much attention and solid
technical and scientific foundation to subsidize it
in tasks related because it involves
a sequence of actions aimed at obtaining
best results in treating the patient,
your safety and the institution in which it is performed
care. Thus, it is important to understand
that the use of drugs, procedures
involved and their own responses organic
niques involve risks resulting from the treatment
potential to cause harm to the patient,
is essential that professionals are prepared
techniques for responsible
and legal result of the errors that may incur.
Generally, drugs of a health unit are stored
in a specific area, arranged in cabinets or shelves
easily accessible and organized, and protected from dust, moisture,
insects, sunlight and other agents that can change its state?
It should be noted that certain drugs need to be stored and preserved
in a refrigerator.

The containers containing the medication must have cap and
label, identified by name (please print legibly) and dosage of the drug.
The unit-dose packaging, that is, separated and labeled in
? Pods? Increasingly is being adopted in large
hospital as a means to promote better control and streamlines
tion of drugs.

Patients and / or family need to be informed about the
use of prescription drugs, and oriented
about their care and storage - especially if there
children at home, aiming to prevent domestic accidents.
The drug should be monitored every shift
and its use made by prescription and prescription including name
the patient, quantity and dosage, and the date, name and signature of the medical-
dico responsible. Noting the lack of a drug, notify that fact
immediately to the head.

The drug delivery follows rules and routines that
standardize the work in all inpatient units, facilitating
organization and control. To prepare the drugs,
it is necessary to determine which method is used for the avian
prescription - card system, prescriptions, prescription, sheet
printed on the computer. In order to administer medications in a manner
safe nursing traditionally used to administer the rule
the right drug, right dose, right patient, the route
right and the right time.

During the preparation phase, the nursing staff should
take great care to avoid errors by ensuring that the most
patient receives the correct medication. This explains why the
drug should be administered by those who prepared it, not being
recommended the administration of drugs prepared by
another person.

The following guidelines contain measures of organizational
and asepsis that are intended to assist the professional phase of this work:

? always wash hands before preparing and administering medication,
and soon after;
? prepare the medication in an environment with good lighting;
? concentrate at work, avoiding activities to distract attention
parallel and interruptions that may increase the chance of
make mistakes;
? read and check the label on the medicine three times:
to pick up the vial, ampoule or envelope of medicine; before putting the medicine in the proper administration and now, many hospital pharmacies have implemented the so-called? individuaisque doses are the provision of
medications per shift, per patient and time (with the doses prescribed for certain times), facilitating the work of the nursing team and the recognition of drugs by the patient.

Avian - stands ready, perform, prepare (in this case, prescription drugs).


Fundamentals of Nursing

replacing the container on the shelf or discard the ampule / vial
or other packaging - not a competent professional
carried away by automated behaviors, it has the conscia
ence that great caution is needed when it comes to preparing
and administering medications;

? carry out the preparation only when you are sure the drug
prescribed, dosage and route of administration, medications
should be administered under medical prescription, but in cases
emergency is to make them acceptable under verbal order (when
situation is under control, all medications should be used
be prescribed by the physician and checked by nursing staff
who made the application);

? identify the product prepared with the patient name, bed number, medication name, route of administration and schedule;

? observe the appearance and characteristics of the medication, before preparing it;

? leave the place of preparation of medication in order and clean, using 70% alcohol to disinfect the bench;

? use of medication tray or cart properly cleaned and disinfected with 70% alcohol;

? in the preparation of drugs for more than one patient, it is appropriate to organize the tray arranging them in the sequence of administration.

Similarly, the following are guidelines for the administration phase:

? keep the tray or the medication cart always seen during the administration, never leaving them alone, together with the patient;

? before administering the drug, the patient clarify
about the drugs you will receive a clear and
understandable, and carefully check the identity
the same, to make sure that you are managing
the drug to the right person, verifying the bracelet identifies
tion and / or asking him to give his name, not induce them to it;

? stay with the patient until it takes the drug.
Leave the drugs to take or later
allow medication to another is absolutely improper and practices
objectionable;

? effecting the registration of which was provided to the patient after administering
the drug.

In order to reduce errors in medication administration, it is recommended to follow
the rule of five rights:
right drug, right route, right dose, right time and right patient.

All medication administered must be registered and signed in the prescription. In applications it is important to note the parenteral administration site.

Some medications require the collection of information and
special care before or after administration, such as
measure of heart rate before administration of cardiotonic
or antiarrhythmics, temperature control after the administra-
ing of antipyretics, etc..

? episodes that must be properly
noted in the chart of the patient to follow-up pos-
BATCH changes.

The inadvertent omission of a drug should be recorded and
communicated to the nurse and / or physician as soon as detected. Some
omissions are deliberate, for example, oral medication
in a patient who will undergo emergency surgery. In the case of
refusal of medication, the nursing staff should immediately report
the fact that the nurse and / or physician, and write it in the chart.
In our environment, conventionally, when the drug was not administered
for some reason the appropriate time should be surrounded
(Slices,? Mad?) To the pen and the justification duly noted
in the patient.

It is important to check (s) reason (s) for refusal of the patient and try to
the reorientation of the importance of (s) drug (s) in your treatment.
It is common for patients to complain of the effects that some drugs
produce in your body, and the nursing staff can
help you evaluate alternatives and seeking to improve the situation
according to the problems presented. Sometimes, the simple fact
decentralize the drugs at different times can provide
satisfactory results.


Administering drugs orally and sublingual

Materials needed:

? tray
? disposable cups
? tape for identification
? related equipment: syringe, gauze, eye dropper, etc..
? water, milk, juice or tea

Evaluate the patient before preparing medicines, checking
conditions and factors that influence the administration by these routes,
as fasting, water control, nasogastric tube, nausea and vomiting.

Fundamentals of Nursing

Care for the preparation of drugs administered
depend on their oral presentation. In the case of liquid medicine, it is recommended
stir the contents of the bottle before surrounding it in the graduated container
(Cup), holding it with the label side up to prevent
drain the drug accidentally. Wrap the neck of the bottle
gauze is an alternative to trimming the liquid in the event of such circumstance.
The time to spill the contents of the bottle, holding it at the time of
with the eye cup, easy viewing of the desired dose.
Pills, tablets or capsules should be placed in
cup, avoiding touching them with bare hands? to do this, use
the lid of the bottle to pass them to the cup, or keep them in
package itself, is unitary.

To avoid drug interactions, drugs are not
should be given simultaneously. So whenever possible, planning
the times of administration should respect that.
When the administration of multiple medications,
safer practice is to use separate containers, enabling
correct identification of drugs that the patient actually
received in cases of partial acceptance or accidental loss of part
them? the individual packages do not provide this risk.
When the administration of sublingual medication, observe
correct placement of the drug under the tongue of the patient, orientandoo
to keep it, without chewing it or swallow it until completely
dissolved. Should not be fed with liquid sublingual medication.

Administering rectal medication
Materials needed:

? tray
? utility gloves
? Liner protection
? gauze
? solid or liquid medication
? bedpan (optional)

The formulations intended for rectal use can be solid or
net. The solid suppository called, has an ogival shape and consists
ence that facilitates their application should not be starting. Dissolves
in contact with body temperature and is especially suitable for
stimulation of peristalsis, to facilitate defecation? usually
the results are manifested within 15 to 30 minutes, but may delay
up to an hour.

Drug interaction - is when the effect of one or more drugs are altered
by simultaneous administration, neutralizing the action or causing an adverse reaction in the patient.

For the intolerant
gastric, some painkillers
are presented in the form
suppository.

If the patient is able to perform the procedure, the
professional should offer you the suppository wrapped in gauze and guide you to
enter it in the anal orifice, towards the larger to the smaller
(Tapered), which facilitates insertion. If you are unable, the auxiliary
nursing, using gloves procedure with the patient in
lateral position, performs this task.

The liquid formulation, also called enema, is the
introduction of a solution in the rectum and sigmoid. The indications vary
but its greatest use is to promote the evacuation in cases of constipation
tion and preparation for examinations, surgeries and deliveries - but there enemas
specific drug therapies, such as the base
neomycin, to reduce the intestinal bacterial flora.

Administering medications
topical dermal, ocular, nasal, ear and vaginal
Materials needed:

? tray
? spatula, dropper applicator
? gauze
? utility gloves
? medicine

In general, it is recommended to carry out sensitivity test
before application dermal drug.
In order to have better absorption of the drug through the skin, the same
must be clean and dry before application. Lotions, ointments or pastes
are placed on the skin and spread evenly with gauze,
with gloved hands properly, following the specific guidelines
of each drug in relation to friction, coverage, application
heat, etc..

For topical ocular, nasal and ear is recommended
the dropper bottle is individually and during application, do not touch
the skin or mucosa.

Before applying eye, it is necessary to clean the eyes
remove secretions and crusts. With the patient comfortably
positioned supine or sitting with his face to
above, the provider should expose the conjunctiva of the lower eyelid and ask
him to direct the eye upward, after which instills the solution with the
dropper (Figure 1). Sequentially, guide the patient to close
eyelids and move her eyes, which evenly spreads the medicine.
Similarly, the same guidelines should be followed to

Fundamentals of Nursing
the application of ointment to be distributed along the upper eyelid and
less
For the instillation of medication into the nostrils, the patient should
keep your head tilted back, in this position, the professional approach
the dropper and drip the prescribed number of drops of medicine

In applying the ear is the most appropriate position lateral.
In order to better expose the ear canal, the practitioner must gently pull
the flag of the outer ear up and back, in the case
adult, and down and back, in children, and instill the medication
For patient comfort, use warm solution.
The medications have the form of intravaginal cream and eggs,
that are introduced with the aid of a single use applicator. The
most recommended application time is at night, at bedtime, after the place
tion-hygiene. With a gloved hand, the professional must fill
the applicator with the cream (or insert the egg) and, keeping the patient
supine, place it about 7.5 cm and press the
plunger to apply the drug (Figure 5). The patient should be advised
to remain lying down soon after application, in order to avoid
reflux medicine. Women with self-conditions apply
should be instructed about the procedure.

Administering parenteral drugs come

The parenteral route is usually used when one wants
more immediate action of the drug when there is no possibility of administering
be it orally or when it interferes with the assimilation of
drug from the gastrointestinal tract. Nurses commonly use
The following forms of parenteral administration, intradermal, subcutaneous
neous, intramuscular and intravenous.

4
5
100

Fundamentals of Nursing
Materials needed:

? Tray or bowl-rim
? Syringe
? Needle
? Cotton
? Alcohol 70%
? Belch (intravenous injection)
? Drug (ampoule, vial)

The administration of medication intravenously
requires prior preparation with aseptic technique and guides
tions set out below aim to ensure greater safety
more trust and prevent the occurrence of contamination.
When selecting products, to observe the period of
validity, the appearance of the solution or powder and integrity of the bottle.
Make sure that all medication is contained
the body of the ampoule, they often closer
causes the neck portion of the drug is retained.
Observe the integrity of enclosures that protect the syringe and
needle, place the needle on the syringe carefully avoiding
contaminate the needle, the plunger, the inner body
and the tip of the syringe.

Disinfect the whole vial with swab
70% alcohol, highlighting the bottleneck (Fig. 1) in the case of bottle-
ampoule, lift the metal cover and disinfect the rubber.
Protect your fingers with an alcohol swab
70% in time to break the ampoule or removing the cover
metallic vial. To inhale the medication
the ampoule or vial, holding it with two fingers
one hand, keeping your other hand free to perform,
with the syringe, the aspiration of the solution

In the case of vials, aspirate the diluent, insert it into the
bottle and let the force of internal pressure to move the air inside
the syringe. Thoroughly mix the diluent with the lyophilized powder, without shaking, and
aspire. For aspiring drug multiple dose vial, inject a
volume of air equivalent to the solution and then vacuum it.
The procedure of introducing air from the syringe into the vial
aims to increase the internal pressure of the same, easily taking the drug,
considering that the fluids move from one area of ​​greatest
pressure to lower pressure. Therefore, when breathing in the drug,
keep the vial upside
After removal of the drug, to withdraw

the air with the needle and the syringe pointing upwards. It is recommended to pull
the plunger slightly to remove the solution in the needle, aiming
prevent its splash when removing the air.
1
Ampoule
2
3
4

Vial
101

The needle should be protected with the shield and the syringe plunger
with the container itself.
Identify the material with tape, which must include the name of
patient, number of bed / room, drug, dose and route of administration.
Precautions to administer drugs via parenteral
are important to avoid irreversible damage to the patient often.
Before applying, make skin antisepsis with 70% alcohol.
It is important to perform a rotation of application sites, which prevents
lesions in the patient's tissues, resulting from repeated applications.
Observe the angle of administration according to the road and
length of the needle, which should be appropriate to the route, the type of drug,
the patient's age and his physical structure.

After introducing the needle into the tissue and before pressing the plunger
the syringe to administer the drug by subcutaneous and
intramuscular, should aspire to be sure that there was no puncture
blood vessel. If there is blood return, remove the punch, prepare
the medication again, if necessary, and repeat the procedure.
Discard the syringe with the needle attached, suitable for container
sharps.

? Intradermally
It is the administration of drugs in the dermis, suitable for
application of BCG vaccine and as an adjunct to diagnostic tests and
sensitivity.

For hypersensitivity tests, the most used is the region
scapula and the inner surface of the forearm for application of BCG, the region
deltoid of the right arm.

Stretch the skin to insert the needle, which facilitates the introduction of
bevel, which must be facing up, aiming to reach only
epidermis, forming an angle of 15 ° with the needle, placing it almost
parallel to the surface of it. It is not necessary aspirate,
due to lack of blood vessel in the epidermis.
The volume to be administered should not exceed 0.5 ml, being
a small tissue expandability and is used syringe and 1 ml
Needle 10x5 and 13x4, 5.

When the application is correct, it identifies the formation of papules,
characterized by a small elevation of skin where the medicine
was introduced.

Subcutaneous

It is the administration of medications into the subcutaneous tissue, whose absorption
tion is slower than the intramuscular route. Small doses are recommended,
ranging from 0.5 ml to 1 ml. Also known as hypodermic
is especially suitable for vaccination (eg rabies), hormones (eg insulin),
anticoagulants (eg heparin) and other drugs requiring absorption
slow and steady.

His application sites are the face of outer arm, buttocks,
front and outer thigh, periumbilical region, scapular region,
inframammary region and flank left or right.
Not to exceed the tissue, one must first observe the
constitution of the subcutaneous tissue of the patient, setting the angle to be
managed in accordance with the needle available (if 10x5 needle, apply
at 90 °; is 25x7, apply in 45-degree angle).
When introducing the needle, make a fold in the subcutaneous tissue
Aneo to facilitate its location. To promote the gradual absorption
the drug, making light compression without rubbing when removing the needle
skin.
Local 15 of the application by the intradermal application Angles

Intramuscular
The intramuscular route is used to administer drugs
annoying because it is less painful, considering that there is less
number of nerve endings in the deep muscle tissue. The absorption
ing occurs faster than in the case of subcutaneous administration,
due to increased vascularity of muscle tissue. The volume to be administered
must be compatible with muscle mass, which varies
according to age, location and nutritional status. Considering
an adult with normal weight, the most appropriate volume of drug
under the deltoid is approximately 2ml; on the buttocks, and 4 ml
thigh, 3 ml35, although the authors admit that larger volumes.
Anyway, 3ml larger quantities should always be
evaluated and they may not have adequate absorção36.

Local application by subcutaneous
Application angles
90 ° 45 °

Fundamentals of Nursing
The most common complications of intramuscular injection are the
formation of nodules, abscesses, necrosis and nerve injury.
Administering drugs via
intramuscular
Prepare the medication, noting the recommendations of the prescription
tion and the manufacturer. For use in normal weight adults, the appropriate needles
are 25x7, 25x8, 30x7 and 30x8. In the case of irritating medications, the
needle aspirated the drug should be changed in order to avoid occurrences
ence of tissue damage.
Instruct the patient to adopt a comfortable position, relaxing
muscle, a process that facilitates the introduction of the fluid avoids
leakage and minimizes pain.
Avoid administering drugs to inflamed areas,
hypotrophic, with nodules, paresis, plegias and others, they may hinder
absorption of the drug.
In a single movement and moderate momentum, keeping the muscle
firmly, insert the needle at an angle of 90 degrees, pull the plunger and
if there is no return of blood to administer the solution. After the introduction
the medicine, withdraw the needle - also a single movement - and
compress the area with cotton soaked with alcohol at 70%.
The sites used for drug delivery are the region-
s of the deltoid, dorsoglútea, ventrogluteal and anterolateral thigh.
The region has the drawback of dorsoglútea be located near the
sciatic nerve, which contraindicate this type of application in children. The
recommended position is the prone position, with feet turned inward,
facilitating relaxation of the gluteal muscles, if not possible,
put the patient in lateral recumbency. The location indicated is the upper
outside, about 5 cm below the apex of the iliac crest. Another way to
identify the application site is drawing an imaginary line of the spine
posterior superior iliac to the greater trochanter of the femur, superior to the injection
midpoint of the line is also safe

For the application of injection into the deltoid, it is recommended that the patient
is in a sitting or lying position. Measure 4 fingers below the shoulder
and hold the muscle during the needle insertion

The vastus lateralis is on the anterolateral thigh.
Indicates the intramuscular injection in the middle third of muscle in infants,
children and adults ventrogluteal The region, being an area devoid of large vessels
and nerves, is suitable for any age, especially for children.
Located the site of injection by placing the index finger on the spine
anterosuperior iliac, and with the palm of the hand on the head of the femur
(Trochanter), then glide to the adjacent (middle) to form a V. The
injection into the center of the V reaches the gluteal muscles (Fig. 6).
Eutrophic - with proper nutrition.

To apply very irritating drugs intramuscularly, the
Z technique is indicated, it promotes the sealing of the main-path and
tion of the drug in the intramuscular space.
In this case, the skin is displaced laterally away from the site
previously chosen for the injection

The needle penetrates the muscle by injecting the drug slowly. Remove the needle
and releases the skin, forming the ZO injection site should not
be massaged as this can cause tissue damage.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário