Musica no blog

contador de visitas
contador de visitas

quinta-feira, junho 16, 2011

Tecido Epitelial Questionario Tecido Epitelial

Tecido Epitelial

O Tecido Epitelial (TE) possui algumas características essenciais que permitem a sua diferenciação de outros tecidos do corpo. Ocorre uma justaposição das suas células poliédricas. Esta forma pode ser justificada pela pressão exercida por outras células e a ação modeladora do citoesqueleto; a justaposição das células pede ser explicada pela pequena quantidade ou mesmo ausência de matriz extracelular. A grande capacidade de coesão entre as células é outra característica e ocorre devido a especializações de membrana (ver adiante) e ao glicocálix. O TE é avascularizado, fazendo da presença de lâmina basal indispensável à sua nutrição.

Origem
Pode originar-se dos 3 folhetos embrionários.
Ectoderme: epitélios de revestimento externos (epiderme, boca, fossas nasais, orifício retal).
Endoderme: epitélio de revestimento do tubo digestivo, da árvore respiratória, do fígado e do pâncreas.
Mesoderme: endotélio (vasos sangüíneos e linfáticos) e mesotélio (revestimento de serosas).
Funções
A função de revestimento envolve a de proteção - como a epiderme que protege os órgãos internos de agentes externos - e a de absorção - como é o caso das mucosas. Exerce uma importante função secretora, uma vez que as glândulas são originárias do TE, e são por isto classificadas como Tecido Epitelial Glandular.
Além disso, o TE exerce uma função sensorial com os neuroepitélios (ex. retina).
Tecido Epitelial de Revestimento
Especializações de membrana
Glicocálix: ação adesiva (entre outras).
Microvilosidades e estereocílios: formados por microfilamentos de actina que correm para uma trama terminal; relacionados com a absorção.
Cílios: formado por microtúbulos; relacionado com a movimentação.
Zônula de oclusão: é a junção mais apical. Ocorre por interação entre duas proteínas transmembranas e promove a vedação, obrigando o trânsito intracelular e impedindo a volta de substâncias por entre as células epiteliais (efeito selador). Favorece a criação de domínios.
Zônula de adesão: interações entre caderinas, associadas a microfilamentos na altura da trama terminal. Tem função adesiva.
Máculas de adesão (desmossomos): interações entre caderinas, ligadas a uma placa eletrondensa associada a filamentos intermediários de queratina (tonofilamentos).
Junções comunicantes (gap): canal hidrofílico por onde passam moléculas informacionais e íons. Formados por conexinas.
Hemidesmossomos: interações entre integrinas (célula) e lamininas (lâmina basal), associadas a filamentos intermediários.
Lâmina basal
Formada por colágeno tipo IV, lamininas e proteoglicanas. É sintetizada pelas células epiteliais e faz a nutrição do tecido epitelial por ser vascularizada. Divide-se em: lâmina lúcida, lâmina densa e lâmina fibroreticular (formada por fibras de ancoragem de colágeno VII ).
Classificação
Quanto ao número de camadas de células, podem ser simples, com uma só camada de células iguais (ovário, intestino); estratificado com várias camadas de células (pele, esôfago); e pseudoestratificado, com uma única camada de células que tocam a lâmina basal mas que possuem núcleos em alturas diferentes (traquéia).
Quanto à forma das células, podem ser cúbicas (de núcleo arredondado e central), cilíndricas ou prismáticas (com núcleo elipsóide e geralmente central) e pavimentosas (achatadas).
Obs.: existe ainda o epitélio de transição, presente nas vias urinárias e na bexiga. É denominado desta forma pois muda o número de camadas por assentamento celular, mas não muda o número de células).
Conceitos importantes
Mucosas: epitélio simples ou estratificado e tecido conjuntivo frouxo ( lâmina própria ).
Serosas: mesotélio + tecido conjuntivo frouxo. Individualiza órgãos. Ex.: pericárdio, pleura, peritônio.
Adventícias: tecido conjuntivo apenas. Une órgãos.
Epitélio Glandular
As características são as mesmas do epitélio de revestimento. O que diferencia os dois tipos de epitélio é a função do glandular, que é basicamente a secreção de substâncias.


O assunto "Histologia Animal" tem grande abrangência na maioria dos vestibulares do Brasil. A grande maioria das questões cobra vários tecidos simultaneamente; assim, questões específicas sobre um tecido não são muito comuns.
Os itens mais cobrados sobre tecido epitelial são: características gerais do tecido; funções; origem embriológica; classificação. O estudante não pode se esquecer de que as glândulas são de origem epitelial.
Questões sobre pele e camada de ozônio também têm ocorrido com bastante frequência.
Em nosso material, disponibilizamos questões específicas sobre tecido epitelial, envolvendo os itens supracitados.
Bons estudos e sucessso nos vestibulares.

01) (UNIMONTES/2008) O tecido epitelial de revestimento é classificado segundo critérios como número de camadas celulares e forma das células. Considerando esse tipo de classificação, analise as alternativas abaixo e assinale a CORRETA.
a) Revestimento ovariano – simples prismático.
b) Revestimento interno da bexiga – estratificado pavimentoso.
c) Conjuntiva do olho – simples cúbico.
d) Endotélio – simples pavimentoso.

02) (UFMT/2009) A ozonosfera é uma das principais barreiras de proteção contra a excessiva radiação ultravioleta que traz sérios prejuízos aos seres vivos. Em relação à pele humana, é correto afirmar que a incidência excessiva dos raios UV agride as células podendo provocar alterações genéticas com danos profundos na
a) Endoderme, camada mais interna da pele.
b) Hipoderme, camada localizada após a epiderme.
c) Epiderme, camada superficial da pele.
d) Ectoderme, camada mais externa da pele.
e) Mesoderme, camada abaixo da endoderme.

03) (UFES) Com relação ao tecido epitelial, considere as afirmativas abaixo:
I. O epitélio de revestimento do tipo prismático com microvilosidades é comum aos órgãos relacionados com a absorção, como o intestino delgado.
II. As glândulas merócrinas, formadas pelo epitélio glandular, são aquelas que apresentam um ciclo secretor completo, ou seja, elaboram, armazenam e eliminam apenas a secreção.
III. O epitélio pavimentoso estratificado queratinizado apresenta uma única camada de células e recobre a superfície corporal dos mamíferos.
IV. As células epiteliais recebem a sua nutrição a partir do tecido conjuntivo subjacente, uma vez que o tecido epitelial é avascular.
V. Denominamos glândulas endócrinas aquelas que lançam parte de seus produtos de secreção na corrente sanguínea e parte em cavidades ou na superfície do corpo.
Assinale:
a) se todas forem corretas.
b) se todas forem incorretas.
c) se I, II e III forem corretas.
d) se I, IV e V forem corretas.
e) se I, II e IV forem corretas.

04) (UEL/2007) Analise a figura a seguir.

Fonte: JUNQUEIRA, L. C.& CARNEIRO, J. Biologia Celular e Molecular. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000. p. 295.
Com base na figura e nos conhecimentos sobre o tema, assinale a alternativa correta:
a) A pele negra, representada pela figura de número III, não tem necessidade de produzir melanócitos quando em contato com os raios ultravioleta.
b) Os indivíduos de pele albina estão representados pela figura II, pois, em contato com os raios ultravioleta produzem uma quantidade intermediária de melanócitos como conseqüência de problemas enzimáticos.
c) Os indivíduos de pele clara estão representados pela figura I, o que justifica o fato da pele destas pessoas, quando em contato com os raios ultravioleta, ficarem vermelhas.
d) As células epiteliais da epiderme contêm quantidade variável do pigmento melanina, colocado como um capuz sobre o lado do núcleo celular que está voltado para o exterior, de onde vêm os raios ultravioleta.
e) Tumores malignos originados de células epiteliais de revestimento podem ser causados pela falta de exposição ao sol.

05) (UECE-JUNHO/2007) Dentre as principais funções do tecido epitelial, podemos assinalar, corretamente, a função de:
a) Tração.
b) Transporte
c) Preenchimento
d) Secreção

06) (UFCG/2006) Um agrupamento de células diferenciadas e especializadas na execução de uma função biológica denomina-se tecido, que são classificados em tecido epitelial, conjuntivo, muscular e nervoso. São os tecidos que constituem os órgãos e estes constituem os sistemas. Os sistemas por sua vez, comandam as atividades vitais nos seres vivos.
Nesse contexto, é INCORRETO afirmar que o tecido epitelial
a) constitui-se de dois tipos básicos: o primeiro, de revestimento ou protetor e o segundo, glandular ou secretor.
b) é formado por células justapostas, geralmente poliédricas, e apresenta escassez de substâncias intercelulares, tendo como principal função revestir e proteger as superfícies do organismo.
c) apresenta elevada quantidade de substância intercelular e suas células possuem formas e funções bastante variadas com diversas especializações.
d) pode ser classificado quanto ao número de camadas e ao formato das células, tais como: pavimentoso simples e estratificado, cúbico simples e estratificado e prismático simples.
e) é identificado no revestimento da traquéia e dos brônquios como pseudo-estratificado e no revestimento interno da bexiga como estratificado de transição.

07) (VESTIBULANDOWEB/2009) A análise de determinado material ao microscópio revelou a seguinte imagem.

Podemos afirmar que o referido corte histológico pertence ao seguinte órgão:
a) Traqueia
b) Túbulos renais
c) Parede uterina
d) Esôfago
e) Intestino

08) (UFSJ) Os diversos tipos de tecido epitelial podem ser classificados basicamente em glandulares e de revestimento; entretanto, todos eles possuem, em comum, células:
a) Diversificadas em forma e em função, com material intercelular rico em fibras.
b) Alongadas e apropriadas à distensão e à contração, dispostas paralelamente em feixes.
c) Com prolongamentos e ramificações intercomunicantes.
d) Justapostas, com material intercelular escasso e ausência de vasos sangüíneos.

09) (CEFET-MG) Referindo-se ao tecido epitelial, podemos afirmar:
I- Os órgãos são revestidos internamente através das mucosas.
II- Na epiderme, encontram-se, numerosamente, fibras colágenas, elásticas e reticulares.
III- Na superfície de contato de um epitélio com o tecido conjuntivo subjacente, encontra-se uma película protéica acelular denominada lâmina basal.
É correto afirmar que apenas:
a) o item I é verdadeiro d) os itens I e II são verdadeiros.
b) o item II é verdadeiro e) os itens I e III são verdadeiros.
c) o item III é verdadeiro.

10) (UFPI/2005) Para amenizar rugas e vincos na pele sem intervenção do bisturi, os médicos contam com algumas substâncias como o colágeno, o silicone e os ácidos (Restylane e afins), que apresentam atividade fraca quando aplicadas na pele por uso externo, mas mostram bons resultados quando injetadas na derme. Assinale a alternativa que apresenta a explicação correta.
a) A derme é a camada mais externa da pele, e sua localização facilita a atuação das substâncias, que vão atuar no tecido epitelial.
b) A derme, composta de tecido conjuntivo, é quem confere elasticidade e resistência à pele, e a aplicação interna dessas substâncias atua no preenchimento dos locais falhos.
c) A perfeita união entre as células epiteliais faz com que o epitélio seja totalmente impermeável à água e a essas substâncias.
d) As substâncias, quando aplicadas pelo uso externo, estimulam a duplicação das camadas do tecido epitelial da derme, mas a camada de queratina não permite que atuem na derme.
e) As glândulas exócrinas presentes no tecido epitelial atuam como barreiras físicas e químicas, impedindo a passagem das substâncias até a derme, evitando sua atividade.


GABARITO:
01 - D; 02 - C; 03 - E; 04 - D; 05 - D; 06 - C; 07 - E; 08 - D; 09 - E; 10 - B.


O tecido epitelial desempenha várias funções no organismo, como proteção do corpo, absorção de substâncias do meio, secreção de substâncias úteis e percepção de sensações, dependendo do órgão onde se localiza. Os tecidos epiteliais, também chamados épitélios, são classificados em dois tipos principais: epitélios de revestimento e epitélios glandulares.
DESENVOLVIMENTO
EPITÉLIOS DE REVESTIMENTO
Os tecidos epiteliais ou epitélios têm células perfeitamente justapostas, unidas por pequena quantidade de material cimentante. O arranjo das células epiteliais pode ser comparado ao de ladrilhos ou tijolos bem encaixados.

Quando os epitélios são formados por uma só camada de células, são classificados como epitélios simples ou uniestratificados. Já os epitélios formados por mais de uma camada de células são chamadas estratificados.

Existem ainda epitélios que, apesar de formados por uma única camada celular, têm células de diferentes alturas, o que dá a impressão de serem estratificados. Por isso, eles costumam ser denominados pseudo-estratificados.

Quanto à forma das células, os epitélios podem ser classificados em pavimentosos, quando as células são achatados como ladrilhos; cúbicos, quando as células têm a forma de cubo; ou prismáticos, quando as células são alongadas, em forma de coluna. No epitélio que reveste a bexiga, a forma das células é originalmente cúbica, mas elas se tornam achatadas quando submetidas ao estiramento causado pela dilatação do órgão. Por isso, esse tipo de epitélio é denominado, epitélio de transição.
ESPECIALIZAÇÕES DAS CÉLULAS EPITELIAIS
As células dos tecidos epiteliais mantêm-se aderidas umas às outras por meio de estruturas especializadas, genericamente chamadas junções celulares.
Desmossomos
Uma das mais importantes junções celulares é o desmossomo. Um desmossomo pode ser comparado a um botão de pressão constituído de duas metades que se encaixam, estando uma metade localizada na membrana de uma das células a outra metade na célula vizinha.

Em cada célula existe uma placa circular de proteína, situada bem perto da membrana. Das placas partem substâncias colantes, chamadas desmogleínas, que atravessam as membranas e grudam as células na região de contato. As placas também estão ligadas a um grande numero de filamentos constituídos da proteína queratina.
Zona de oclusão
Outro tipo de junção celular presente em muitos epitélios é a zona de oclusão, uma espécie de cinturão adesivo situado junto à borda livre das células epiteliais. A zona de oclusão mantêm as células vizinhas tão encostadas que impede a passagem de moléculas entre elas. Assim, substâncias eventualmente presentes em uma cavidade revestida por tecido epitelial não podem penetrar no corpo, a não ser atravessando diretamente as células.

Sob um tecido epitelial há sempre uma espécie de tapete de moléculas de proteínas ao qual as células se ligam: a lâmina basal. As bases das células epiteliais ficam aderidas à lâmina basal por meio de estruturas celulares especiais, denominadas hemidesmossomos. Estes lembram desmossomos, mas possuem estrutura e função diferentes, conectando as bases das células epiteliais à lâmina basal, em vez de ligarem as membranas de células vizinhas, como fazem os desmossomos.
EXEMPLOS DE EPITÉLIOS DE REVESTIMENTO
Epiderme
A camada mais superficial de nossa pele, a epiderme, é um epitélio estratificado que exerce função de proteção.
As células epidérmicas localizadas junto à lâmina basal estão sempre em multiplicação, originando novas células que substituem as células mais superficiais, que estão continuamente morrendo e se soltando.

À medida que novas camadas celulares são produzidas, as camadas mais externas espremem-se umas contra as outras, achatando-se. As células localizadas mais perto da superfície adquirem um formato de escama e passam a produzir abundantes quantidades de filamentos de queratinas.

As células epidérmicas não vivem muito tempo. A abundante produção de queratina acaba por produzir a morte das células mais externas. Mas isso não impede que elas cumpram seu papel: os filamentos da queratina formam uma densa rede superficial na epiderme, que a impermeabiliza e protege contra arranhões e pequenos ferimentos.
Epitélio de revestimento intestinal
O tecido que reveste internamente o intestino delgado é um bom exemplo de epitélio especializado em absorver nutrientes e permitir que eles passem da cavidade intestinal para o sangue. A alta capacidade de absorção do epitélio intestinal se deve ao fato de suas células possuírem, na membrana da borda livre, muitas projeções finas e alongadas, que lembram dedos de uma luva, chamadas microvilosidades.

Cálculos da área da membrana que constitui as microvilosidades mostram que elas aumentam em quinhentas vezes a área superficial em cada célula, em comparação com a área de células que têm borda lisa. O mesmo tipo de cálculo nos leva a concluir que o intestino delgado humano apresenta umas superfície de absorção de mais de 300 m², equivalente à área de uma quadra de esportes de 20 m de comprimento por 15 m de lado.
Epitélio de túbulos renais
Outro exemplo de epitélio especializado na absorção de substâncias pode ser encontrado nos rins. Nesses órgãos existem finos túbulos formados por células epiteliais, cuja função é reabsorver substâncias úteis da urina e devolvê-las ao sangue. A eficiência dessas células renais é garantida por um grande número de invaginações, espécie de “microvilosidades ao contrário”. O efeito é o mesmo: as invaginações aumentam a área celular disponível para a absorção de substâncias.
Epitélio olfativo
Existem epitélios constituídos por células especializadas em perceber estímulos externos, que são depois transmitidos ao sistema nervoso. O epitélio olfativo, que reveste internamente o nariz, é um exemplo de epitélio sensível, responsável pelo olfato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário