Musica no blog

contador de visitas
contador de visitas

quinta-feira, junho 16, 2011

TECIDO MUSCULAR e Questionario de TECIDO MUSCULAR

TECIDO MUSCULAR

É constituído por células alongadas e que contém grande quantidade de filamentos
citoplasmáticos, responsáveis pela contração. Possui origem mesodérmica e, de acordo com suas
características funcionais e morfológicas, podem-se distinguir, nos mamíferos, três tipos de tecido
muscular:
MÚSCULO ESTRIADO ESQUELÉTICO
MÚSCULO ESTRIADO CARDÍACO
MÚSCULO LISO
A célula muscular é bastante diferenciada, seus componentes receberam denominações
especiais:
membrana plasmática = SARCOLEMA
citoplasma = SARCOPLASMA
Retículo endoplasmático liso = RETÍCULO SARCOPLASMÁTICO
mitocôndrias = SARCOSSOMAS

1) MÚSCULO ESTRIADO ESQUELÉTICO
São formados por feixes de células muito longas (até 30 cm), cilíndricas, multinucleadas,
com um diâmetro que varia de 10 a 100 micrômetros. Células são denominadas FIBRAS
MUSCULARES. A variação no diâmetro das fibras musculares estriadas depende de vários
fatores: músculo considerado, idade, sexo, estado de nutrição, treinamento físico.
Nas fibras musculares esqueléticas os números núcleos se localizam na periferia das
fibras, nas proximidades do sarcolema. Esta localização nuclear característica ajuda a distinguir o
músculo esquelético do músculo cardíaco, ambos com estriações transversais, pois no músculo cardíaco os núcleos são centrais. É um tecido de atividade rápida, forte, descontínua e voluntária.
Num músculo com o bíceps ou o deltóide, por exemplo, as fibras musculares são
envolvidas por bainhas de tecido conjuntivo (EPIMÍSIO, PERIMÍSIO e ENDOMÍSIO) que mantêm as fibras musculares unidas, permitindo que a força de contração gerada por cada fibra individualmente atue sobre o músculo inteiro. Este papel do tecido conjuntivo tem grande significado funcional porque na maioria das vezes as fibras não se estendem de uma extremidade do músculo até a outra. Os vasos sangüíneos penetram no músculo através do tecido conjuntivo e formam uma rica rede de capilares que correm entre as fibras musculares. O tecido conjuntivo do músculo contém, ainda, vasos linfáticos e nervos.

O citoplasma da fibra muscular apresenta-se preenchido principalmente por fibrilas
paralelas: MIOFIBRILAS
As miofibrilas do músculo estriado contém 4 proteínas: MIOSINA, ACTINA, TROPONINA E TROPOMIOSINA. As proteínas estão organizadas em estruturas denominadas de sarcômeros, formando dois tipos de filamentos: finos e grossos.
a) Filamento Grosso: formado pela polimerização das miosinas. A miosina tem a forma de dois tacos de golfe entrelaçados. As caudas (cabos dos tacos de golfe) são dispostas em paralelo
para formar a haste do filamento espesso. As cabeças dos tacos projetam-se para fora, na
superfície da haste. Essas cabeças proeminentes são referidas como cabeças de miosina ou
pontes cruzadas e possuem locais para combinação com ATP (é dotada de atividade ATPásica, pode clivar uma molécula de ATP em ADP + P, liberando energia) e possui afinidade pela proteína actina.
b) Filamento Fino: formado pela polimerização de 3 tipos de proteínas ACTINA: polímeros longos, formados por 2 cadeias de monômeros globulares torcidas uma sobre
a outra, em hélice. Cada monômero globular possui uma região que interage com a miosina
TROPOMIOSINA: molécula longa e fina com duas cadeias polipeptídicas, uma enrolada na outra, formando filamentos que se localizam ao longo do sulco existente entre os filamentos de actina.

TROPONINA: proteína com três subunidades
TROPONINA T: tem afinidade pela tropomiosina
TROPONINA C tem afinidade pelo cálcio
TROPONINA I: impede a ligação da actina com a miosina.
O conjunto de miofibrilas é, por sua vez, preso à membrana plasmática da célula muscular
por meio de diversas proteínas que têm afinidade pelos miofilamentos e por
proteínas da membrana plasmática. Uma dessas proteínas, chamada distrofina, liga os filamentos de actina a proteínas do sarcolema. A distrofia muscular de Duchenne é uma miopatia hereditária, ligada ao cromossomo X, que causa lesões progressivas das fibras musculares, e freqüentemente leva a morte prematura. No músculo esquelético desses doentes, nota-se que a distrofina é inexistente ou então sua molécula é defeituosa.
A contração muscular depende da disponibilidade de íons cálcio e o músculo relaxa
quando o teor desse íon se reduz no sarcoplasma. O retículo sarcoplasmático (RS) armazena e regula o fluxo de íons cálcio. Esse retículo é uma rede de cisternas do retículo endoplasmático liso, que envolve grupos de miofilamentos, separando-os em feixes cilíndricos. Quando a membrana do retículo sarcoplasmático é despolarizada pelo estímulo nervoso, os canais de cálcio se abrem e esses íons, que estavam depositados nas cisternas do RS, difundem-se passivamente, indo atuar sobre a troponina, possibilitando a formação de pontes entre actina e miosina. Quando cessa a despolarização, a membrana do RS, por processo ativo, transfere o cálcio para dentro das cisternas, o que interrompe a atividade contrátil.
A despolarização da membrana do RS, que resulta na liberação de Ca++, inicia-se na
placa motora, uma junção neuromuscular situada na superfície da fibra muscular. A
despolarização iniciada na superfície teria de se difundir através da espessura da fibra para
efetuar a liberação de cálcio nas cisternas profundas do RS. Nas fibras musculares mais
calibrosas isto levaria a uma onda de contração lenta, de tal maneira que as miofibrilas periféricas contrar-se-iam antes que as situadas mais profundamente. O sistema de túbulos transversais ou sistema T é responsável pela contração uniforme de cada fibra muscular esquelética. Este sistema é constituído por uma
rede de invaginações tubulares da membrana plasmática da fibra muscular, cujos ramos vão envolver as junções das bandas A e I de cada sarcômero. Em cada lado de cada túbulo T existe uma expansão ou cisterna terminal do RS. Este complexo, formado de um túbulo T e duas expansões do RS, é conhecido como tríade. Na tríade, a despolarização dos túbulos T, derivados do sarcolema, é transmitida ao RS.

A Contração Muscular
Mecanismo do Filamento Deslizante:
Durante a contração muscular, as cabeças de miosina puxam os filamentos finos, fazendoos
deslizar para dentro do sarcômero. O sarcômero encurta, mas o comprimento dos filamentos
finos e grossos em si não se altera. As cabeças de miosina dos filamentos grossos conectam-se à
actina dos filamentos finos. As cabeças de miosina movem-se como remos de um bote na
superfície dos filamentos finos, os filamentos finos e grossos deslizam uns sobre os outros, As
cabeças de miosina podem puxar os filamentos finos de cada sarcômero tão para dentro em
direção ao centro de um sarcômero que elas se sobrepõem. Esse processo ocorre somente
quando há disponibilidade de grande quantidade de íons cálcio no sarcoplasma e um adequado

suprimento de energia.
Após a morte, a autólise inicia nas fibras musculares, e o cálcio vaza para fora do retículo
sarcoplasmático. O cálcio liga-se à troponina e desencadeia o deslizamento dos filamentos
delgados. Porém a produção de ATP cessou, de modo que as cabeças de miosina não podem ser destacadas da actina. A condição resultante, em que os músculos estão em um estado de rigidez (não podem contrair-se ou estender-se) é denominada rigor mortis. O rigor mortis dura cerca de 24 horas, mas desaparece à medida que os tecidos começam a desintegrar-se.

A Junção Neuromuscular

Para uma fibra muscular esquelética se contrair, ela deve ser estimulada por uma célula
nervosa. O tipo particular de neurônio que estimula o tecido muscular é denominado neurônio motor.

Uma unidade motora é composta de neurônio motor e todas as fibras musculares que ele
estimula. Um único neurônio motor conecta-se a muitas fibras musculares. A estimulação de um neurônio motor faz todas as fibras musculares daquela unidade motora contraírem-se
simultaneamente. Os músculos que controlam movimentos precisos, como os músculos
extrínsecos do olho, possuem menos de 10 fibras musculares em cada unidade motora, mas
muitas unidades motoras. Os músculos do corpo que são responsáveis por movimentos
grosseiros (amplos), como o bíceps do braço e o tríceps da perna, podem ter até 2.000 fibras
musculares em cada unidade motora, mas poucas unidades motoras.
No local da inervação, o nervo perde sua bainha de mielina e forma uma dilatação que se
coloca para dentro de uma superfície da fibra muscular, formando a JUNÇÃO NEUROMUSCULAR.
Quando uma fibra do nervo motor dispara um impulso nervoso, o terminal axônico libera o
neurotransmissor acetilcolina, que se difunde através da fenda sináptica e se prende a receptores específicos situados na membrana da célula muscular. A ligação do neurotransmissor faz o sarcolema ficar mais permeável ao sódio, o que resulta na despolarização da célula muscular na contração muscular.
De acordo com sua estrutura e composição bioquímica, a fibra muscular estriada esquelética pode ser de dois tipos:
1. TIPO 1, LENTAS, VERMELHAS: ricas em sarcoplasma contendo mioglobina o que dá a cor
vermelho escura. São adaptadas para contrações continuadas, a energia é obtida
principalmente da fosforilação oxidativa dos ácidos graxos.
2. TIPO 2, RÁPIDAS, BRANCAS: são adaptadas para contrações rápidas e descontínuas. Pouca
mioglobina, por isso a cor vermelho clara. Sua energia é obtida principalmente da glicólise.
Os músculos esqueléticos geralmente apresentam diferentes proporções desses tipos de
fibras, conforme o músculo considerado. A diferenciação das fibras musculares nos tipos
vermelha ou branca é controlada pelos nervos. Quando se cortam, em experimentos com animais, os nervos das fibras brancas e vermelhas e se faz reimplante cruzado, as fibras musculares mudam seu caráter durante a regeneração, seguindo a nova inervação recebida.

2) MÚSCULO ESTRIADO CARDÍACO
É constituído por células alongadas e ramificadas com aproximadamente 15 μm de
diâmetro por 85-100 μm de comprimento que se anastomossam irregularmente. Possuem
estriações transversais, como as fibras esqueléticas, mas possuem apenas um ou dois núcleos centralizados.
Tecido de contração rápida, forte, contínua e involuntária. As fibras são revestidas
por uma delicada bainha de tecido conjuntivo (equivalente ao endomísio do músculo esquelético), que contém uma abundante rede de capilares sangüíneos.
A disposição das fibras em feixes é irregular, podendo no mesmo campo microscópico
encontrar-se feixes cortados longitudinal, transversal ou obliquamente. As células musculares são unidas entre si através das suas extremidades por meio de junções especializadas Estas junções são denominadas DISCOS INTERCALARES cuja função é dar uma propagação rápida e
sincronizada às contrações do músculo cardíaco.
O músculo cardíaco tem numerosas mitocôndrias, que ocupam aproximadamente 40% do
volume citoplasmático, o que reflete o intenso metabolismo aeróbico desse tecido. Em
comparação, no músculo esquelético as mitocôndrias ocupam apenas cerca de 2% do volume do citoplasma.
O músculo cardíaco armazena ácidos graxos sob a forma de triglicerídeos
encontrados nas gotículas lipídicas do citoplasma de suas células. Existe pequena quantidade de glicogênio, que fornece glicose quando há necessidade. As células musculares cardíacas podem apresentar grânulos de lipofucsina, localizados principalmente próximo às extremidades dos núcleos celulares. A lipofucsina é um pigmento que aparece nas células que não se multiplicam e têm vida longa.
As fibras cardíacas apresentam grânulos secretores, os quais são mais abundantes nas
células musculares do átrio esquerdo (mas existem também no átrio direito e nos ventrículos). São grânulos que contêm a molécula precursora do hormônio ou peptídeo atrial natriurético (ANP: Atrial Natriuretic Peptide). Este hormônio atua nos rins aumentando a eliminação de sódio (natriurese) e água (diurese) pela urina. O hormônio natriurético tem ação oposta à da
aldosterona, um hormônio antidiurético que atua sobre os rins promovendo a retenção de sódio e água. Enquanto a aldosterona aumenta a pressão arterial, o hormônio natriurético tem efeito contrário, fazendo baixar a pressão arterial.
No coração existe uma rede de células musculares cardíacas modificadas, acopladas às
outras células musculares do órgão, que têm papel importante na geração e condução do
estímulo cardíaco, de tal modo que as contrações dos átrios e ventrículos ocorrem em
determinada seqüência, permitindo ao coração exercer com eficiência sua função de
bombeamento de sangue.

3) MÚSCULO LISO
É formado por uma associação de células longas, mais espessas no centro e afilando-se
nas extremidades. Com um único núcleo central. O tamanho da célula muscular lisa pode variar de 20 μm na parede dos pequenos vasos sangüíneos até 500 μm no útero grávido. Durante a gravidez aumenta muito o número (hiperplasia) e o tamanho (hipertrofia) das fibras musculares do útero. É um tecido de contração fraca, lenta e involuntária.
As células musculares lisas são revestidas por lâmina basal e mantidas juntas por uma
rede muito delicada de fibras reticulares. Essas fibras amarram as fibras musculares lisas umas às outras, de tal maneira que a contração simultânea de apenas algumas ou de muitas células se
transforme na contração do músculo inteiro. A célula muscular lisa apresenta feixes de
miofilamentos que se cruzam em todas as direções, formando uma trama tridimensional
O músculo liso ocorre principalmente na parede de órgãos ocos como o tubo digestivo,
bronquíolos, bexiga, útero e parede dos vasos sangüíneos, mas também pode ser encontrado em feixes isolados do tecido conjuntivo que envolve órgãos internos como os responsáveis pela ereção dos pêlos em mamíferos.
Controle da Contração do Músculo Liso
Embora o músculo esquelético seja ativado exclusivamente pelo sistema nervoso, o músculo liso
pode ser estimulado a contrair por diversos tipos de sinais: sinais neurais, estimulação
hormonal, estiramento do músculo e modificação do ambiente químico da fibra. O controle
neural é feito pelo sistema nervoso autônomo. Existem 2 neurotrasmissores para o ML:
acetilcolina e norepinefrina.

REGENERAÇÃO NO TECIDO MUSCULAR
MÚSCULO ESTRIADO ESQUELÉTICO
Embora os núcleos das células musculares esqueléticas não se dividam, o músculo tem
uma pequena capacidade de reconstituição. Admite-se que as células satélites sejam
responsáveis pela regeneração do músculo esquelético. Essas células são mononucleadas,
fusiformes, dispostas paralelamente às fibras musculares dentro da lâmina basal que envolve as
fibras e só podem ser identificadas no microscópio eletrônico. São consideradas mioblastos
inativos. Após uma lesão ou outro estímulo, as células satélites tornam-se ativas, proliferam por
divisão mitótica e se fundem umas as outras para formar fibras musculares esqueléticas. As
células satélites também entram em mitose quando o músculo é submetido a exercício intenso.
Nesse caso elas se fundem com as fibras musculares preexistentes, contribuindo para a
hipertrofia muscular.

MÚSCULO CARDÍACO
Não se regenera. Nas lesões do coração, como nos enfartes, por exemplo, as partes
destruídas são invadidas por fibroblastos que produzem fibras colágenas, formando uma cicatriz
de tecido conjuntivo denso.

MÚSCULO LISO
É capaz de uma resposta regenerativa eficiente. Ocorrendo lesão, as células musculares
lisas que permanecem viáveis entram em mitose e reparam o tecido destruído. Na regeneração
do tecido muscular liso da parede dos vasos sangüíneos há também a participação dos pericitos,que se multiplicam por mitose e originam células musculares lisas.
Questões sobre Tecidos Musculares
Celulas musculares
De origem mesodérmica, os tecidos musculares são formados por células altamente especializadas, com função contrátil. O assunto é bastante comum em provas de vestibulares de todo o país e o aluno deve atentar-se a alguns pontos sempre presentes nestas provas: os tipos de tecidos musculares e suas características básicas (forma da célula; presença/ausência de estriações; número e posição do núcleo; tipo de contração; presença/ausência de discos intercalares). Também é interessante que se tenha uma noção sobre o mecanismo contrátil, a organização do sarcômero e o papel do cálcio na contração.
Por fim, leia sobre fibras brancas (de contração rápida e curta duração) e fibras vermelhas (de contração mais lenta e de grande duração), pois, várias questões já apareceram exigindo conhecimento a esse respeito.
Propusemos várias questões envolvendo esses tópicos relacionados a celulas musculares. Bons estudos e sucesso nas provas!


01) (UFOP-JUNHO/2009) Sobre as células do tecido muscular esquelético, indique a alternativa incorreta.
a) Possuem filamentos finos de actina ancorados à linha Z.
b) Regulam a contração por meio do controle da liberação de cálcio do retículo sarcoplasmático.
c) São cilíndricas e bem alongadas.
d) Contêm um único núcleo central.

02) (PISM - UFJF/2008) Na natureza, alguns animais podem sofrer auto-amputação de uma parte do corpo para escapar do perigo, como as lagartixas, que possuem um mecanismo de perder a cauda (autotomia caudal). Quando elas fazem isso, o pedaço da cauda solto fica se mexendo de um lado para o outro por alguns segundos e esse movimento atrai a atenção do predador (Revista Ciência Hoje das Crianças 162 - outubro de 2005). Considerando que a musculatura da cauda é estriada esquelética, formada por fibras brancas conhecidas também como rápidas, glicolíticas ou do tipo II, é INCORRETO afirmar que:
a) essas fibras são também chamadas de brancas por terem pouca ou nenhuma mioglobina.
b) as fibras brancas são pobres em mitocôndrias e estão adaptadas a contrações bruscas e potentes.
c) as fibras brancas atingem a capacidade máxima de contração mais rapidamente e com mais força que as vermelhas, embora a atividade seja mantida por tempo mais curto.
d) as fibras musculares brancas obtêm energia para contração quase que exclusivamente por fermentação, a partir de glicose e glicogênio.
e) as fibras brancas são ricas em mioglobina e mitocôndrias e estão adaptadas a movimentos lentos e duradouros.

03) (UFC/2006) A liberação dos íons cálcio e magnésio no processo de contração de uma fibra muscular estriada esquelética envolve diversos componentes celulares, exceto o:
a) lisossomo.
b) retículo endoplasmático.
c) sarcoplasma.
d) sistema T.
e) retículo sarcoplasmático.

04) (PUC-MG/2007) Observe o esquema, que representa células do tecido muscular estriado cardíaco humano.

Sobre esse assunto, assinale a afirmativa INCORRETA.
a) A contração dessa musculatura, em condições normais, depende de um sistema próprio gerador de impulsos.
b) As células musculares cardíacas apresentam, em seu citoplasma, actinas, miosinas e mioglobinas.
c) As células musculares cardíacas podem realizar contração, mesmo sem estímulos do sistema nervoso central.
d) As células musculares cardíacas apresentam intenso consumo de oxigênio que é recebido diretamente do sangue contido nos átrios e nos ventrículos.

05) (UFPI/2003) As células musculares são diferentes das células nervosas porque:
a) contêm genes diferentes.
b) possuem maior número de genes.
c) usam códigos genéticos diferentes.
d) possuem menor número de genes.
e) expressam genes diferentes.

06) (UFTM/2007) Na final do campeonato de atletismo, João sagrou-se campeão na modalidade salto com vara, enquanto Pedro venceu na modalidade maratona. Para realizar o trabalho muscular requerido na final de cada uma dessas provas, a musculatura esquelética dos atletas precisou contar com certo aporte de energia. Basicamente, quatro diferentes processos poderiam fornecer a energia necessária para o trabalho muscular desses atletas durante as provas:
I. reserva celular de ATP;
II. reserva celular de fosfocreatina;
III. reserva celular de glicogênio;
IV. formação de ATP pela respiração aeróbica.
Pode-se dizer que, do início ao final da prova, na musculatura esquelética de
a) João e na musculatura esquelética de Pedro, a obtenção de energia deu-se pelo processo I, apenas.
b) João e na musculatura esquelética de Pedro, a obtenção de energia deu-se pelo processo IV, apenas.
c) João, a obtenção de energia deu-se predominantemente pelos processos I e II, enquanto na musculatura esquelética de Pedro, deu-se predominantemente pelo processo IV.
d) ambos os atletas, a obtenção de energia deu-se por todos os processos, predominando, em ambos os casos, o processo IV.
e) ambos os atletas, a obtenção de energia deu-se por todos os processos, predominando, no caso de João, o processo III e, no caso de Pedro, o processo IV.

07) (FGV/2007) Paulo não é vegetariano, mas recusa-se a comer carne vermelha. Do frango, come apenas o peito e recusa a coxa, que alega ser carne vermelha. Para fundamentar ainda mais sua opção, Paulo procurou saber no que difere a carne do peito da carne da coxa do frango. Verificou que a carne do peito
a) é formada por fibras musculares de contração lenta, pobres em hemoglobina. Já a carne da coxa do frango é formada por fibras musculares de contração rápida, ricas em mitocôndrias e mioglobina. A associação da mioglobina, que contém ferro, com o oxigênio confere à carne da coxa uma cor mais escura.
b) é formada por fibras musculares de contração rápida, pobres em mioglobina. Já a carne da coxa é formada por fibras musculares de contração lenta, ricas em mitocôndrias e mioglobina. A associação da mioglobina, que contém ferro, com o oxigênio confere à carne da coxa uma cor mais escura.
c) é formada por fibras musculares de contração rápida, ricas em mioglobina. Já a carne da coxa é formada por fibras musculares de contração lenta, ricas em mitocôndrias e hemoglobina. A associação da hemoglobina, que contém ferro, com o oxigênio confere à carne da coxa uma cor mais escura.
d) é formada por fibras musculares de contração rápida, ricas em mioglobina. Já a carne da coxa é formada por fibras musculares de contração lenta, ricas em mitocôndrias e hemoglobina. A associação da hemoglobina, que contém ferro, com o oxigênio confere à carne da coxa uma cor mais escura. Já a mioglobina, que não contém ferro, confere à carne do peito do frango uma coloração pálida.
e) e a carne da coxa não diferem na composição de fibras musculares: em ambas, predominam as fibras de contração lenta, pobres em mioglobina. Contudo, por se tratar de uma ave doméstica e criada sob confinamento, a musculatura peitoral, que dá suporte ao vôo, não é exercitada. Deste modo recebe menor aporte sanguíneo e apresenta-se de coloração mais clara.

08) (UFV/2002) Preocupados com a boa forma física, os freqüentadores de uma academia de ginástica discutiam sobre alguns aspectos da musculatura corporal. Nessa discussão, as seguintes afirmativas foram feitas:
I - O tecido muscular estriado esquelético constitui a maior parte da musculatura do corpo humano.
II - O tecido muscular liso é responsável direto pelo desenvolvimento dos glúteos e coxas.
III - O tecido muscular estriado cardíaco, por ser de contração involuntária, não se altera com o uso de esteróides anabolizantes.
Analisando as afirmativas, pode-se afirmar que:
a) apenas II e III estão corretas.
b) apenas I está correta.
c) apenas II está correta.
d) I, II e III estão corretas.
e) apenas I e II estão corretas.

09) (UFRGS/2005) Considere as afirmações a seguir sobre o tecido muscular esquelético.
I. Para que ocorra contração muscular, há necessidade de uma ação conjunta dos íons cálcio e da energia liberada pelo ATP, o que promove um deslizamento dos filamentos de actina sobre os de miosina na fibra muscular.
II. Exercícios físicos promovem um aumento no volume dos miócitos da musculatura esquelética, através da produção de novas miofibrilas.
III. Em caso de fadiga muscular, parte do ácido lático produzido através da fermentação lática passa para a corrente sangüínea e é convertida em aminoácidos pelo fígado.
Quais estão corretas?
a) Apenas I.
b) Apenas II.
c) Apenas I e II.
d) Apenas II e III.
e) I, II e III.

10) (PUC-RJ/2004) Dentre os tecidos animais, há um tecido cuja evolução foi fundamental para o sucesso evolutivo dos seres heterotróficos.
Aponte a opção que indica corretamente tanto o tipo de tecido em questão como a justificativa de sua importância.
a) Tecido epitelial queratinizado - permitiu facilitar a desidratação ao impermeabilizar a pele dos animais.
b) Tecido conjuntivo ósseo - permitiu a formação de carapaças externas protetoras para todos os animais, por ser um tecido rígido.
c) Tecido muscular - permitiu a locomoção eficiente para a predação e fuga, por ser um tecido contrátil.
d) Tecido nervoso - permitiu coordenar as diferentes partes do corpo dos animais, por ser um tecido de ação lenta.
e) Tecido conjuntivo sangüíneo - permitiu o transporte de substâncias dentro do corpo do animal, por ser um tecido rico em fibras colágenas e elásticas.

11) (PISM-UFJF/2002) O tradicional bife de carne de boi é constituído por:
a) tecido muscular liso, que se caracteriza por apresentar contrações involuntárias.
b) tecido muscular estriado fibroso, que se caracteriza por apresentar contração involuntária.
c) tecido muscular liso, que se caracteriza por apresentar contrações constantes e vigorosas.
d) tecido muscular estriado, caracterizado por apresentar contrações peristálticas reguladas pelo cálcio.
e) tecido muscular estriado esquelético, que se caracteriza por realizar contrações voluntárias.

12) (UFAC/2008) As células desse tecido tem origem mesodérmica, mostra diversas estriações ao microscópio óptico, suas células tem aspecto de fibras e um aglomerado dessas fibras forma um feixe que é envolvido por uma bainha de tecido conjuntivo. As células organizam-se formando um sincício que permite a rápida resposta a estímulos." A descrição refere-se a (ao):
a) tecido epitelial, de fato sua origem é mesodérmica.
b) tecido adiposo e a organização em sincício é sua característica marcante.
c) tecido muscular esquelético já que as fibras organizam-se formando feixes.
d) tecido muscular liso, porque suas células são envolvidas por tecido conjuntivo.
e) tecido conjuntivo, dado que ao microscópio óptico suas células mostram um padrão estriado.

QUESTÕES DISCURSIVAS
13) (UNICAMP/2007) As pessoas são incentivadas a praticar atividades físicas visando uma vida saudável. Especialistas em fisiologia do exercício determinaram a percentagem de fibras do tipo I e do tipo II encontradas em músculos estriados esqueléticos de quatro grupos de pessoas: atletas maratonistas(*), atletas velocistas(**), pessoas sedentárias e pessoas com atividade física moderada. Os resultados desse estudo são mostrados na figura abaixo.

(*) corredores de longas distâncias
(**) corredores de curtas distâncias (ex.: 100 metros)
TABELA
Fibra muscular tipo I Fibra muscular tipo II
Contração lenta Contração rápida
Metabolismo aeróbico Metabolismo anaeróbico
Alta densidade de mitocôndrias Baixa densidade de mitocôndrias
(Figura e tabela adaptadas de Fox, E.L; Mathews, D.K. Bases Fisiológicas da Educação Física e dos Desportos.Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1986, p. 72-74)
a) Analise as informações da tabela e indique, entre os quatro grupos de pessoas (A, B, C ou D), mostrados na figura, qual grupo corresponde aos maratonistas e qual grupo corresponde aos velocistas. Justifique.

b) Se os dois grupos de atletas não fizerem um treinamento adequado, pode ocorrer nesses atletas dor muscular intensa durante ou após uma competição. A que se deve essa dor muscular? Explique.

14) (PISM-UFJF)
Observe a figura ao lado e identifique o tipo de músculo encontrado em A e B:
Observe a figura ao lado e identifique o tipo de músculo encontrado em A e B:
1. ____________________________
2. ____________________________

b) Considerando o processo de respiração celular realizado pela célula muscular presente em A, analise a afirmativa abaixo. Você concorda com ela? Justifique sua resposta.
Um corredor que irá participar de uma competição de longa distância (10.000 metros) deve começar a corrida com o mesmo ritmo de um outro que irá correr numa prova de curta distância (100 metros).

c) Com referência ao tipo de músculo identificado em B, qual a sua relação com o peristaltismo do esôfago, estômago e intestino? Quais as conseqüências dessa relação no processo digestivo?



15) (UNICAMP/2001) Ciência ajuda natação a evoluir. Com esse título, uma reportagem do jornal O Estado de S. Paulo sobre os jogos olímpicos (18/09/00) informa que: “Os técnicos brasileiros cobiçam a estrutura dos australianos: a comissão médica tem 6 fisioterapeutas, nenhum atleta deixa a piscina sem levar um furo na orelha para o teste do lactato e a Olimpíada virou um laboratório para estudos biomecânicos — tudo o que é filmado em baixo da água vira análise de movimento”.
a) O teste utilizado avalia a quantidade de ácido láctico nos atletas após um período de exercícios. Por que se forma o ácido láctico após exercício intenso?

b) O movimento é a principal função do músculo estriado esquelético. Explique o mecanismo de contração da fibra muscular estriada.


GABARITO
01 - D; 02 - E. 03 - A; 04 - D; 05 - E; 06 - C; 07 - B; 08 - B; 09 - C; 10 - C; 11 - E; 12 - C


1. As funções dos músculos

1- Conservação
2- Transporte
3- Temperatura corporal constante
4- Conservação da forma corporal
5- Pressão sanguínea

Veja a classificação dos músculos:
Tipos de músculos Nº. de núcleos por células Estrias transversais Velocidade (da contração) Comando nervoso
Liso ou visceral 1 ausentes lenta S.N Autônomo (involuntário)
Estriado cardíaco 1 ou 2 presentes rápida S.N Autônomo (involuntário)
Estriado esquelético vários presentes rápida Cerebral (voluntário)

Os músculos não locomovem somente o lado externo, mas também o lado interno.
Veja na figura acima a fibra muscular estriada esquelética, vista no músculo visível até um músculo ultramicroscópio.

O músculo se constitui por: fibras, miofibrilas, estrias Z (sarcômero), banda I, miofilamentos, banda A, miosina e actina.

Fibras: respectivamente células.
Miofibrilas: presentes no âmago celular, são estrias transversais.
Estrias Z: localizadas na estrutura muscular.
Banda I: denominada como a porção mais albumina da musculatura.
Miofilamentos: e a constituição das miofibrilas.
Banda A: filamentos espessos da miosina e actina.
Miosina: proteína
Actina: proteína



1.1 Dependência do sistema nervoso

As atuações que mostramos referente aos nossos músculos são provenientes de estímulos do nervo e comandos cerebrais, quando o músculo não recebe os estímulos necessários provenientes do nervo ele não se manifesta e perde seus movimentos.

Tônus é o ato de retrair o músculo, na qual sempre estarão retraídos por receber a todo o momento estímulos nervosos e cerebrais. As fibras do músculo se retraem por estimulo do nervo, o músculo se retrai por estimulo das fibrilas.
2. A fisiologia muscular

O ATP é a principal fonte do retraimento muscular, esta fonte provém do glicogênio, ou seja, glicose conglomerada.
A molécula de glicogênio se divide nas unidades de glicose, e através da fermentação e da respiração aeróbia, as moléculas de glicose se rompem.
Havendo a precariedade de oxigênio, será aglomerado ácido lático no músculo. Ocorrendo a possibilidade deste mesmo ar voltar a circular no tecido e ser transformado em acido pirúvico.

Para que haja o relaxamento do músculo é necessária a presença de creatina fosfato. Para que o músculo se retraia é necessária a presença de glicogênio.

2.1 Teoria dos miofilamentos deslizantes

Teoria criada por Huxley, compreende a contração muscular. Fundamenta-se na hipótese de que durante a contração, a actina e a miosina permanecem estáticas no músculo, ou seja, não se movem, elas escorregam entre si, se aproximando, e reduzindo a faixa H.

Vejam na figura abaixo, que no momento de contração e relaxamento, as dimensões da banda A não são alteradas. Já a banda I aumenta o seu tamanho no relaxamento e diminui na contração.

As pontes laterais são as estruturas que saem dos miofilamentos da miosina são responsáveis pelo deslizamento que locomove os filamentos de actina em relação aos filamentos de miosina.

Se caso a miosina de um músculo desagregar-se, a faixa A será ocultada. Com essa afirmativa, foi concluído que quando um filamento é grosso, ele é formado por miosina, e quando é fino é formado por actina.
2.2 A importância do cálcio na contração

O cálcio é um fator essencial para a divisão do ATP, com esta divisão o mesmo libera energia que será transferida para o filamento do músculo. O músculo então descontrai, pois o cálcio retorna para as nervuras obstruindo o desenvolvimento da ATP.

Acredita-se que o músculo não terá força suficiente para se movimentar não recebendo os estímulos e mensagens necessárias, por outro lado existe o plano de transporte na quais as nervuras sarcoplasmáticas obterão a presteza suficiente para o fornecimento das mensagens.


Tradução do português para inglês

MUSCLE TISSUE

It consists of elongated cells containing large amounts of filaments
cytoplasmic responsible for contraction. Mesodermal origin and has, according to their
morphological and functional characteristics, can be distinguished, in mammals, three types of tissue
muscle:
Skeletal muscle
STRIPED HEART MUSCLE
SMOOTH MUSCLE
The muscle cell is very different, their names were components
Special:
= plasma membrane sarcolemma
cytoplasm = sarcoplasm
= Smooth endoplasmic reticulum sarcoplasmic reticulum
mitochondria = SARCOSSOMAS

1) skeletal muscle
They consist of bundles of very long cells (up to 30 cm), cylindrical, multinucleated
with a diameter ranging from 10 to 100 micrometers. Cells are called FIBERS
MUSCLE. The variation in diameter of striated muscle depends on several
factors: muscle considered, age, sex, nutritional status, physical training.
Skeletal muscle fibers in the core numbers are located on the outskirts of
fiber in the vicinity of the sarcolemma. This nuclear localization feature helps to distinguish
skeletal muscle of the heart muscle, both with transverse striations, as in cardiac muscle the nuclei are central. It is a tissue of fast activity, strong, discontinuous and voluntary.
In a muscle with the biceps or deltoid, for example, muscle fibers are
surrounded by sheaths of connective tissue (epimysium, perimysium and endomysium) that hold muscle fibers together, allowing the force of contraction generated by each individual fiber acts on the entire muscle. The role of connective tissue has great functional significance because in most cases the fibers do not extend from one end to the other muscle. Blood vessels penetrate the muscle by connective tissue and form a rich network of capillaries that run between the muscle fibers. The muscle tissue also contains lymph vessels and nerves.

The cytoplasm of the muscle fiber is presented mainly populated by fibrils
parallel: Myofibrillar
The myofibrils of striated muscle contains four proteins: Myosin, actin, troponin and tropomyosin. The proteins are organized into structures called sarcomeres of forming two types of filaments: thick and thin.
a) thick filaments, formed by polymerization of myosin. Myosin is shaped like two intertwined golf clubs. Tails (cables of golf clubs) are arranged in parallel
to form the thick filament shaft. Club heads protrude out into the
rod surface. These prominent heads are referred to as myosin heads or
cross bridges and have places for combination with ATP (ATPase activity is endowed with, can cleave a molecule ATP into ADP + P, releasing energy) and has an affinity for the protein actin.
b) thin filament, formed by the polymerization of three types of proteins ACTIN: long polymers made up of two chains of globular monomers on a twisted
the other helix. Each monomer has a globular region that interacts with myosin
Tropomyosin: long, thin molecule with two polypeptide chains, one wrapped around each other, forming filaments that are located along the groove between actin filaments.

Troponin: the protein with three subunits
Troponin T, has an affinity for tropomyosin
Troponin C affinity for calcium
Troponin I: prevents the binding of myosin with actin.
The set of myofibrils is in turn attached to the plasma membrane of muscle cells
through a variety of proteins that have affinity for the myofilaments and
plasma membrane proteins. One such protein, called dystrophin links actin filaments to proteins of the sarcolemma. Duchenne muscular dystrophy is an inherited myopathy, X chromosome, which causes progressive damage of muscle fibers, and often leads to premature death. In skeletal muscle of these patients, it is noted that dystrophin is absent or its molecule is defective.
Muscle contraction depends on the availability of calcium ions and muscle relaxes
when the content of this ion is reduced in the sarcoplasm. The sarcoplasmic reticulum (SR) stores and regulates the flow of calcium ions. This reticulum is a network of cisterns of smooth endoplasmic reticulum, which involves groups of myofilaments, separating them into cylindrical bundles. When the sarcoplasmic reticulum membrane is depolarized by the nerve stimulation, the calcium channels open and these ions, which were deposited in tanks of RS, diffuse passively going to act on troponin, allowing the formation of bridges between actin and myosin . Ceases when the depolarization, the SR membrane by active process, transfer calcium into the tank, which disrupts the contractile activity.
The membrane depolarization of the RS, which results in release of Ca + +, starts at
endplate, a neuromuscular junction located on the surface of the muscle fiber. The
depolarization on the surface would begin to diffuse through the thickness of the fiber to
effect the release of calcium into the deep tank of RS. In the muscle fibers more
caliber that would lead to a wave of slow twitch, so that the peripheral myofibrils counter would be before those located more deeply. The system of transverse tubules or T system is responsible for the uniform contraction of each skeletal muscle fiber. This system consists of a
network of tubular invaginations of the plasma membrane of the muscle fiber, whose branches will involve the joints A and I bands of each sarcomere. On each side of each T-tubule there is a tanker terminal expansion or RS. This complex, consisting of a T-tubule and two expansions of RS, is known as the triad. In the triad, the T-tubule depolarization, derived from the sarcolemma, is transmitted to the RS.

The Muscle Contraction
Sliding Filament Mechanism:
During muscle contraction, the myosin heads pull the thin filaments, making
slide into the sarcomere. The sarcomere shortens, but the length of the filaments
coarse and fine in itself does not change. The myosin heads of thick filaments attach to the
thin filaments of actin. The myosin heads move like rowing a boat in
surface of the thin filaments, the thick and thin filaments slide over each other, the
myosin heads can pull the thin filaments of each sarcomere as inward
toward the center of a sarcomere that they overlap. This process occurs only
when there is availability of large amounts of calcium ions in the sarcoplasm and an adequate

power supply.
After death, autolysis starts in the muscle fibers, and calcium leaks out of the endoplasmic
sarcoplasmic. Calcium binds to troponin and triggers the sliding of the filaments
slender. But the production of ATP ceased, so that the myosin heads can not be separated from the actin. The resulting condition, in which the muscles are in a state of rigidity (can not shrink or stretch) is called rigor mortis. Rigor mortis lasts approximately 24 hours, but disappears as the tissues begin to disintegrate.

The Neuromuscular Junction

For a skeletal muscle fiber to contract, it must be stimulated by a cell
nervous. The particular type of neuron that stimulates muscle tissue is called a motor neuron.

A motor unit is composed of motor neuron and all muscle fibers it
stimulates. A single motor neuron connects to many muscle fibers. The stimulation of a motor neuron causes all the muscle fibers that contract to motor unit
simultaneously. The muscles that control precise movements, such as muscles
extrinsic eye, have less than 10 muscle fibers in each motor unit, but
many motor units. The muscles of the body that are responsible for movements
coarse (large), such as the biceps and triceps muscles of the leg can be up to 2000 fibers
muscle in each motor unit, but few motor units.
At the site of innervation, the nerve loses its myelin sheath and form a bulge that
put into a surface of the muscle fiber, forming the neuromuscular junction.
When a motor nerve fiber of a nerve impulse triggers the axon terminal releases
neurotransmitter acetylcholine, which diffuses across the synaptic cleft and attaches to specific receptors located in the muscle cell membrane. The binding of neurotransmitter causes the sarcolemma become more permeable to sodium, which results in depolarization of muscle cell muscle contraction.
According to its structure and biochemical composition, the striated skeletal muscle fibers can be of two types:
1. TYPE 1, SLOW, RED: rich in sarcoplasm containing myoglobin which gives the color
dark red. They are adapted to continued contraction, energy is obtained
oxidative phosphorylation mainly of fatty acids.
2. TYPE 2, FAST, WHITE: contractions are adapted to rapid and discontinuous. Little
myoglobin, so the red light. His energy is obtained mainly from glycolysis.
Skeletal muscles usually have different proportions of these types of
fibers as the muscle considered. The differentiation of muscle fiber types in
red or white is controlled by nerves. When cut, in animal experiments, the nerve fibers of white and red and makes cross-replantation, the muscle fibers change their character during regeneration, following the new innervation received.

2) HEART MUSCLE STRIPED
It consists of elongated and branched cells with approximately 15 mm in
diameter and 85-100 mm in length that anastomossam irregularly. Have
transverse striations, such as skeletal fibers, but have only one or two centralized nuclei.
Tissue contraction fast, strong, continuous and involuntary. The fibers are coated
by a delicate sheath of connective tissue (equivalent to the endomysium of skeletal muscle), which contains a rich network of blood capillaries.
The arrangement of fiber bundles is irregular and may in the same microscopic field
bundles are cut lengthwise, transverse or oblique. The muscle cells are joined together through their ends through specialized joints These joints are called intercalated disks whose function is to provide a rapid spread and
synchronized contractions of the heart muscle.
The heart muscle has numerous mitochondria, which occupy approximately 40% of
cytoplasmic volume, which reflects the intense aerobic metabolism of this tissue. In
comparison, in skeletal muscle mitochondria occupy only about 2% of the volume of the cytoplasm.
The heart muscle stores fatty acids in the form of triglycerides
lipid droplets found in the cytoplasm of their cells. There is small amount of glycogen, which provides glucose when needed. Cardiac muscle cells may show lipofuscin granules, located primarily near the ends of the cell nuclei. The lipofuscin is a pigment that appears in cells that do not multiply and have long life.
The cardiac fibers have secretory granules, which are most abundant in
muscle cells of the left atrium (but there are also the right atrium and the ventricles). Are granules containing the precursor molecule of the hormone or atrial natriuretic peptide (ANP: Atrial natriuretic peptide). This hormone acts on the kidneys by increasing the elimination of sodium (natriuresis) and water (diuresis) in urine. The natriuretic hormone has the opposite action of
aldosterone, an antidiuretic hormone that acts on the kidneys by promoting sodium retention and water. While aldosterone increases blood pressure, the natriuretic hormone has the opposite effect, lowering blood pressure.
At heart there is a network of modified cardiac muscle cells, coupled to
other muscle cells of the body, which play an important role in the generation and conduction
cardiac stimulus, so that the contractions of the atria and ventricles occur in
certain sequence, allowing the heart to efficiently perform its function of
pumping blood.

3) SMOOTH MUSCLE
It consists of a combination of long cells, thicker in the center and tapering
ends. With a single core. The smooth muscle cell size can vary from 20 mm in the wall of small blood vessels up to 500 mM in the pregnant uterus. During pregnancy greatly increases the number (hyperplasia) and size (hypertrophy) of muscle fibers of the uterus. It is a weak contraction of tissue, slowly and deliberately.
Smooth muscle cells are lined by basal lamina and held together by a
very delicate network of reticular fibers. These fibers bind the smooth muscle fibers to each other, so that the simultaneous contraction of only a few or many cells
become the entire muscle contraction. The smooth muscle cell bundles of presents
myofilaments that cross in all directions, forming a three dimensional plot
Smooth muscle occurs mainly in the wall of hollow organs like the gut,
bronchioles, bladder, uterus and blood vessel walls, but can also be found in isolated bundles of connective tissue that surrounds internal organs such as those responsible for the erection of the hairs in mammals.
Control of smooth muscle contraction
Although skeletal muscle is activated only by the nervous system, smooth muscle
can be stimulated to contract for various types of signals: neural signals, stimulation
hormone, muscle length and modification of the chemical environment of the fiber. The control
is done by neural autonomic nervous system. There are two neurotransmitter for ML:
acetylcholine and norepinephrine.

MUSCLE TISSUE REGENERATION
Skeletal muscle
Although the nuclei of skeletal muscle cells do not divide, the muscle has
a small capacity for reconstitution. It is assumed that satellite cells are
responsible for the regeneration of skeletal muscle. These cells are mononuclear,
spindle placed parallel to the muscle fibers within the basal lamina that surrounds
fibers and can only be identified in the electron microscope. Myoblasts are considered
inactive. After an injury or other stimulus, the satellite cells become activated, proliferate by
mitotic division and fuse each other to form skeletal muscle fibers. The
satellite cells also enter into mitosis when the muscle is subjected to intense exercise.
In this case they fuse with existing muscle fibers, contributing to
muscle hypertrophy.

HEART MUSCLE
Does not regenerate. In injuries of the heart, as in strokes, for example, the parties
destroyed are invaded by fibroblasts that produce collagen fibers, forming a scar
of dense connective tissue.

SMOOTH MUSCLE
It is capable of an effective regenerative response. Injury occurring, the muscle cells
smooth that remain viable enter mitosis and repair the damaged tissue. In regeneration
the smooth muscle wall of blood vessels is also the participation of pericytes, which multiply by mitosis and give rise to smooth muscle cells.
Questions about Muscle Tissue
Muscle cells
Of mesodermal origin, the muscle tissues are formed by highly specialized cells with contractile function. The issue is quite common in tests of vestibular across the country and the student must pay attention to some points always present in these tests: the types of muscle tissue and its basic characteristics (cell shape, presence / absence of striations, the number and position core, type of contraction, presence / absence of intercalated disks). It is also interesting to have a notion on the contractile mechanism, the organization of the sarcomere and the role of calcium in contraction.
Finally, read about white fibers (fast twitch and short term) and red fibers (slow contraction and high yield), because several issues have appeared requiring knowledge about it.
We have proposed a number of issues involving these topics related to muscle cells. Good education and success in exams!


01) (UFOP-JUNHO/2009) on the cells of skeletal muscle tissue, indicating the alternative incorrect.
a) They have thin actin filaments anchored to the line Z.
b) regulate contraction by controlling the release of calcium from the sarcoplasmic reticulum.
c) They are cylindrical and elongated as well.
d) contain a single core.

02) (Pismo - UFJF/2008) In nature, some animals may suffer self-amputation of a body part to escape danger, such as lizards, which have a mechanism for losing the tail (caudal autotomy). When they do, the loose piece of the tail is moving from one side to the other for a few seconds and this movement attracts the attention of the predator (Science Today for Children Magazine 162 - October 2005). Whereas the striated muscles of the tail is skeletal, consisting of white fibers also known as fast, glycolytic or type II, it is incorrect to state that:
a) these fibers are also called white because they have little or no myoglobin.
b) the white fibers are poor in mitochondria and are adapted to sudden and powerful contractions.
c) the white fibers reach the maximum capacity to contract faster and stronger than the red, although the activity is maintained for a shorter time.
d) white muscle fibers derive energy for contraction almost exclusively by fermentation from glucose and glycogen.
e) the white fibers are rich in myoglobin and mitochondria and are adapted to a slow and long lasting.

03) (UFC/2006) The release of calcium and magnesium ions in the process of contraction of a striated skeletal muscle fibers involves several cellular components, except:
a) lysosome.
b) the endoplasmic reticulum.
c) sarcoplasm.
d) system T.
e) the sarcoplasmic reticulum.

04) (PUC-MG/2007) Note the scheme, which is striated muscle cells of the human heart.

On this subject, check the inaccurate statements.
a) The contraction of muscles in normal conditions, depends on a system of its own pulse generator.
b) The heart muscle cells present in the cytoplasm, actin, myosin, and myoglobin.
c) The heart muscle cells can perform contraction, even without stimulation of the central nervous system.
d) The cardiac muscle cells show intense consumption of oxygen that is received directly from the blood contained in the atria and ventricles.

05) (UFPI/2003) Muscle cells are different because of nerve cells:
a) contain different genes.
b) have a higher number of genes.
c) use different genetic codes.
d) have fewer genes.
e) express different genes.

06) (UFTM/2007) In the championship game of athletics, John became champion in the sport pole vault, while Peter won the marathon mode. To make the muscle work required in each end of such evidence, the skeletal muscles of athletes needed to have a certain amount of energy. Basically, four different processes could provide the energy needed for muscular athletes in these events:
I. cellular ATP reserves;
II. cellular reserves of phosphocreatine;
III. cellular reserves of glycogen;
IV. formation of ATP by aerobic respiration.
You could say that, from start to finish of the race in skeletal muscle of
a) John and Peter in skeletal muscle, getting energy came from the process I only.
b) John and Peter in skeletal muscle, getting energy came from the Case IV only.
c) John, getting energy took place predominantly by processes I and II, whereas in skeletal muscle of Peter, gave predominantly the process IV.
d) both players, getting energy was given by all processes predominated in both cases, the process IV.
e) both players, getting energy was given by all processes, predominantly in the case of John III and the process in the case of Peter, the process IV.

07) (FGV/2007) Paul is not vegetarian, but refuses to eat red meat. The chicken, eats only the breast and thigh refuses, claiming to be red meat. To further substantiate its option, Paul sought to know what distinguishes the breast meat of chicken thigh meat. Found that the breast meat
a) is made up of slow twitch muscle fiber, low in hemoglobin. As for the chicken thigh meat is made up of fast twitch muscle fibers rich in mitochondria and myoglobin. The association of myoglobin, which contains iron, with oxygen gives the thigh meat a darker color.
b) is composed of fast twitch muscle fiber, low in myoglobin. Since the thigh meat is made up of slow twitch muscle fibers rich in mitochondria and myoglobin. The association of myoglobin, which contains iron, with oxygen gives the thigh meat a darker color.
c) is comprised of fast twitch muscle fibers, rich in myoglobin. Since the thigh meat is made up of slow twitch muscle fibers rich in mitochondria and hemoglobin. The association of hemoglobin that contains iron, with oxygen gives the thigh meat a darker color.
d) is made up of fast twitch muscle fibers, rich in myoglobin. Since the thigh meat is made up of slow twitch muscle fibers rich in mitochondria and hemoglobin. The association of hemoglobin that contains iron, with oxygen gives the thigh meat a darker color. Since myoglobin, which contains no iron, gives the meat a chicken breast pale.
e) and thigh meat did not differ in the composition of muscle fibers: in both predominantly slow-twitch fibers, low in myoglobin. However, because it is a fowl and raised under confinement, the pectoral muscles, which supports the flight is not exercised. Thus receives less blood supply and comes in a lighter color.

08) (UFV/2002) Concerned with physical fitness, the frequenters of a gym discussing some aspects of the body musculature. In this discussion, the following statements were made:
I - The skeletal muscle tissue is most of the muscles of the human body.
II - The smooth muscle tissue is directly responsible for the development of the buttocks and thighs.
III - The heart striated muscle tissue, because it is involuntary, does not change with the use of anabolic steroids.
Analyzing the statements, we can affirm that:
a) only II and III are correct.
b) I just correct.
c) Only II is correct.
d) I, II and III are correct.
e) I and II only are correct.

09) (UFRGS/2005) Consider the following statements about the skeletal muscle tissue.
I. For muscle contraction to occur, there is a need for joint action of calcium ions and the energy released by ATP, which promotes a slip of actin filaments on myosin in muscle fibers.
II. Physical exercise promotes an increase in the volume of the myocytes of skeletal muscles through the production of new myofibrils.
III. In the case of muscle fatigue, part of the lactic acid produced by lactic fermentation passes into the bloodstream and is converted into amino acids by the liver.
Which is correct?
a) Only I.
b) Only II.
c) Only I and II.
d) Only II and III.
e) I, II and III.

10) (PUC-RJ/2004) Among the animal tissues, there is a tissue whose development was fundamental to the evolutionary success of heterotrophic beings.
Point the option that correctly indicates both the type of tissue in question as the justification of its importance.
a) keratinized epithelial tissue - helped to further dehydration to waterproof the skin of animals.
b) Connective tissue bone - allowed the formation of protective outer shells for all animals, being a rigid tissue.
c) Muscle tissue - to allow efficient locomotion and escape predation, as a contractile tissue.
d) nerve tissue - to coordinate the different body parts of animals, being a slow-acting tissue.
e) connective tissue blood - allowed the transport of substances within the body of the animal, because it is a tissue rich in collagen and elastic fibers.

11) (PISM-UFJF/2002) The traditional beef steak consists of:
a) smooth muscle tissue, which is characterized by involuntary contractions present.
b) fibrous striated muscle tissue, which is characterized by involuntary display.
c) smooth muscle tissue, which is characterized by constant and vigorous contractions present.
d) striated muscle tissue, characterized by peristaltic contractions regulated by calcium.
e) skeletal muscle tissue, which is characterized by performing voluntary contractions.

12) (UFAC/2008) The cells of this tissue has mesodermal origin, many striations shows the optical microscope, its cells have an appearance of fibers and these fibers form a cluster beam is surrounded by a sheath of connective tissue. Cells organize to form a syncytium that enables rapid response to stimuli. "The description refers to (the):
a) epithelial tissue, in fact its origin is mesodermal.
b) organization and adipose tissue syncytium is its hallmark.
c) skeletal muscle tissue since the fibers are organized to form bundles.
d) smooth muscle tissue, because their cells are surrounded by connective tissue.
e) tissue, since their cells under an optical microscope show a striated pattern.

Essay questions
13) (UNICAMP/2007) People are encouraged to practice physical activities aiming at a healthy life. Experts in exercise physiology determined the percentage of fibers type I and type II found in skeletal muscle of four groups of people: athletes marathoners (*), (**), sprinters athletes sedentary people and people with moderate physical activity. The results of this study are shown in the figure below.

(*) Distance runners
(**) Runners over short distances (eg 100 meters)
TABLE
Muscle fiber type I muscle fiber type II
Slow twitch fast twitch
Aerobic metabolism Anaerobic Metabolism
High density Low density of mitochondria mitochondria
(Figure and Table adapted from Fox EL, Mathews DK Physiological Basis of Physical Education and Desportos.Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1986, p. 72-74)
a) Review the information and indicate the table, among the four groups of people (A, B, C or D), shown in the figure, which corresponds to the marathon group and which group corresponds to the sprinters. Justify.

b) If the two groups of athletes do not do a proper training, athletes can occur in such muscle pain during or after an intense competition. Why is this muscle pain? Explain.

14) (Pismo-UFJF)
Note the picture on the right and identify the type of muscle found in A and B:
Note the picture on the right and identify the type of muscle found in A and B:
1. ____________________________
2. ____________________________

b) Considering the process of cellular respiration carried out by the muscle cells present in A, consider the following statement. Do you agree with her? Justify your answer.
A runner who will participate in a competition of long distance (10,000 meters) must start the race with the pace of another that will run a short distance race (100 meters).

c) With reference to the type of muscle identified in B, what is its relationship with the peristalsis of the esophagus, stomach and intestines? What are the consequences of this relationship in the digestive process?



15) (UNICAMP/2001) Science swimming helps to evolve. With this title, a report in the newspaper O Estado de S. Paul on the Olympic Games (18.09.00) reports that: "The Brazilian coaches covet the structure of Australians: the medical commission has six physical therapists, no athlete leaves the pool without a hole in the ear to the test of lactate and the Olympics became a laboratory for biomechanics - all of which is filmed in underwater motion analysis turns. "
a) The test used measures the amount of lactic acid in athletes after a workout. Why is formed lactic acid after exercise?

b) The movement is the main function of skeletal muscle. Explain the mechanism of contraction of striated muscle fiber.


FEEDBACK
01 - D, 02 - E. 03 -, 04 - D, 05 - E; 06 - C 07 - B, 08 - B, 09 - C 10 - C 11 - E; 12 - C


1. The functions of the muscles

1 - Conservation
2 - Transport
3 - constant body temperature
4 - Conservation of body shape
5 - Blood Pressure

See the classification of muscles:
No. types of muscles. nuclei of cells Striae transverse speed (contraction) Command nervous
Smooth or visceral absent a slow Autonomous SN (involuntary)
Striated 1 or 2 gifts heart Fast Autonomous SN (involuntary)
Present several fast skeletal Brain (voluntary)

Not only the muscles around the outside but also inside.
See the figure above the muscle fiber striated skeletal muscle seen in visible until a muscle ultramicroscope.

The muscle is constituted by: fibers, myofibrils, Z streaks (sarcomere), I band, myofilaments, band A, actin and myosin.

Fiber: cells respectively.
Myofibrils: present in the core cell are transverse ribs.
Streaks Z: located in the muscular structure.
Band I: known as the albumin portion of the muscles.
Myofilaments, and formation of myofibrils.
Band A: thick filaments of myosin and actin.
Myosin: protein
Actin: protein



1.1 Dependence of the nervous system

The performances show that our muscles are related to stimuli from nerve and brain commands, when the muscle does not receive the necessary stimuli from nerve it does not manifest and loses his movements.

Tonus is the act of retracting the muscle, which will always be retracted to receive all the time and brain nerve stimulation. The muscle fibers shrink by nerve stimulation, the muscle retracts by stimulation of the fibrils.
2. The muscle physiology

ATP is the main source of the withdrawal muscle glycogen comes from this source, ie glucose conglomerate.
The glycogen molecule is divided into units of glucose, and through the fermentation and aerobic respiration, the glucose molecules are broken.
If there is a scarcity of oxygen, lactic acid will be crowded in the muscle. Possibility of this occurring the same air to circulate back into the tissue and be converted into pyruvic acid.

To ensure the muscle relaxation required the presence of creatine phosphate. For the muscle is needed to retract the presence of glycogen.

2.1 Theory of sliding myofilaments

Theory created by Huxley, comprising muscle contraction. It is based on the assumption that during contraction, actin and myosin in muscle remain static, ie do not move, they slip between them, approaching, and reducing the range H.

See the figure below, which at the time of contraction and relaxation, the dimensions of the band are not changed. Since the band I increases its size in the relaxation and decreases in contraction.

Bridges are structures that side out of the myofilaments of myosin are responsible for the landslide that gets around the actin filaments relative to myosin.

If the case of a muscle myosin crumble, the band A will be hidden. With this statement, it was concluded that when a filament is thick, it is composed of myosin, and when it is composed of thin actin.
2.2 The importance of calcium in the contraction

Calcium is an essential factor for the division of ATP with this division it releases energy that is transferred to the filament of the muscle. The muscle then relaxes, since calcium returns to the nerves by blocking the development of ATP.

It is believed that the muscle will not have enough power to move not getting the necessary stimuli and messages on the other hand there is the transportation plan in which the ribs sarcoplasmic will gain enough to speed the delivery of messages.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário